SDC vende participação da Autoestrada da Beira Interior à Globalvia

Ainda falta concretizar a venda da Autoestrada Transmontana, cuja recomposição de capital interessa directamente à construtora Soares da Costa, Negócio com os espanhóis da Globalvia vai render 126,5 milhões de euros à empresa que detém 30% da construtora .

Paulo Pimenta
Foto
Paulo Pimenta

A SDC Investimentos já conseguiu queimar mais uma etapa na sua intenção de alienar aos espanhóis da Globalvia as participações que detém nas concessões rodoviárias da autoestrada da Beira Interior e da Autoestrada Transmontana - uma venda que renderá 126,5 milhões de euros, segundo comunicado divulgado ao mercado em Dezembro.

De acordo com o comunicado à Comissão de Mercados de Valores Mobiliários (CMVM), nesta operação está incluída a alienação da participação nas sociedades que operaram na Concessão da Beira Interior: a Intevias, Scutvias, MRN - Manutenção de Rodovias Nacionais, e a Portvias.  Face ao que foi comunicado em Dezembro, fica ainda a faltar a concretização da venda da participação que detém nas concessões da Autoestrada Transmontana, através das empresas Auto–Estradas XXI Transmontana, Operestradas XXI e Expoestradas XXI.

Em causa na operação divulgada hoje está a venda, através da participada SCD Concessões, de uma participação de 33% na Scutvias e de 22,22% na Autoestrada Transmontana.

A Globalvia também detinha participações em ambas as Concessões: 22,22% na ScutVias e 50% na Transmontana. Com estas aquisições, fica maioritária em ambas as concessionárias.

Estas alienações enquadram-se no processo de reestruturação financeira que a SDC tem em curso e que inclui, entre outras, a Oferta Publica de Aquisição da totalidade das acções da sociedade até agora maioritariamente controlada por Manuel Fino.

A alienação destas concessões não tem impacto directo no processo de insolvência que está a ser discutido em tribunal pela construtora Soares da Costa – que é detida em 30 % da SDC Investimentos. Mas a construtora está directamente interessada na recomposição accionista da concessionária da Auto-estrada Transmontana. Quando se concretizar a venda da participação da SDC à Globalvia, esta fica com 96% do capital, e a construtora com os restantes quatro por cento.

Na prática esta participação também deverá ser alienada aos espanhóis, uma vez que a construtora admite a intenção de a alienar no plano de viabilização que apresentou no âmbito do PER. O plano foi aprovado à tangente por 51,08% dos credores