Brasil: onda de violência faz mais de 60 mortos no estado de Espírito Santo

A paralisação da Polícia Militar resultou numa onda de assaltos e violência na cidade de Vitória. As escolas e serviços de saúde estiveram fechados.

Foto
O exército brasileiro tomou as ruas do estado de Espírito Santo perante a greve da Polícia Militar. LUSA/GABRIEL LORDELLO

O exército brasileiro assumiu na noite de segunda-feira a segurança no estado do Espírito Santo, na sequência de uma onda de violência que fez mais de 60 mortos desde sábado na capital, Vitória. Os transportes públicos já voltaram a circular, depois de terem estado parados domingo.

A Polícia Militar (PM), responsável pela segurança nas ruas no estado, está paralisada desde sexta-feira, quando um movimento de mães e mulheres de agentes começou a organizar piquetes em frente aos quartéis, impedindo a entrada e saída de viaturas, para pedir melhores condições salariais e de trabalho para os seus familiares.

Segunda-feira, contudo, o Tribunal de Justiça do Espírito Santo atribuiu a responsabilidade da greve aos militares, determinando o fim do movimento das famílias e uma multa diária de 100 mil reais (30 mil euros) se as associações de militares não cumprissem a ordem. Os agentes da Polícia Militar são proibidos pela Constituição brasileira de realizar greves.

De acordo com a jornal local Gazeta, também no Rio de Janeiro os familiares dos elementos da Polícia Militar começaram a organizar-se para levar a cabo protestos semelhantes, que estão a ser convocados através do WhatsApp para a próxima sexta-feira. 

Morgue lotada

O Sindicato dos Policiais Civis (Sindipol) do Espírito Santo avançava que pelo menos 62 homicídios foram registados desde sábado em todo o estado. Do total de homicídios, segundo o sindicato, 47 ocorreram na zona de Vitória, capital do estado, e 15 no interior.

Há relatos de arrastões e assaltos a lojas, com um autocarro incendiado. O El País descreve que, mesmo com a presença do Exército, algumas lojas continuaram a ser saqueadas.

Nas redes sociais, a população continua a publicar relatos de violência e vandalismo, usando a hashtag #ESpedesocorro. No WhatsApp, vários vídeos são partilhados retratando episódios de violência.

O portal UOL conta que o número crescente de homicídios em Espírito Santo lotou a morgue de Vitória. De acordo com dois sindicatos da Polícia Civil, pelo menos 16 corpos estão no chão da instituição por falta de espaço nas câmaras frigoríficas, que têm capacidade para 30 corpos. A Secretaria de Segurança Pública afirmou que está a formar uma equipa especial para examinar rapidamente os corpos.

Devido à falta de policiamento nas ruas, a autarquia suspendeu o arranque do ano lectivo na rede municipal. Além das escolas e das universidades privadas, que também não devem funcionar, os centros de saúde estiveram fechados na segunda-feira.

Centros de saúde, bancos e escolas continuavam fechados na manhã desta terça-feira.

Sugerir correcção