Flippers no MNAA, Beckett em Cuba, suor no Lux

Rodrigo García, Tania Bruguera e Cecilia Bengolea são alguns dos criadores estrangeiros com trabalhos a estrear na BoCA.

Fotogaleria
A argentina Cecilia Bengolea trabalhará com o português Nigga Fox numa peça que vai da Jamaica a África DR
Fotogaleria
O encenador Rodrigo García colocará uma máquina de pinball no Lux DR
Fotogaleria
Tania Bruguera, cubana, artista e activista, encenará a sua primeira peça canónica: Fim de Partida, de Beckett DR

Cecilia Bengolea

Da penetração anal (Pâquerette) ao twerk (Altered Natives Say Yes To Another Excess), passando pelo voguing dos anos de glória do Harlem ((M)IMOSA) e pela cena grime londrina (Dub Love), poucas linguagens corporais são estranhas a Cecilia Bengolea, cujo trabalho de aproximação à dança dita vernacular tem passado regularmente por cá. Desta vez, leva ao Lux, a 6 de Abril, o resultado das suas idas e vindas à Jamaica, cujo excêntrico património musical e coreográfico cruzará, em Buss Dem Head, com a tradição sonora africana tal como Nigga Fox a tem transfigurado.

Rodrigo García
O confronto com o cânone da pintura ocidental é um tópico recorrente, para não dizermos obsessivo, da prática teatral de Rodrigo García, o dramaturgo e encenador que a Europa continua, apesar dos seus 52 anos, a tratar por enfant terrible. Convidado pela BoCA a visitar a colecção do Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA), fixou-se nas Tentações de Santo Antão e inventou a partir delas uma máquina de flippers modificada que o visitante será convidado a usar no espaço teoricamente sagrado do museu. Pinball Bosch: Venha jogar com Deus e o diabo fica no MNAA de 17 de Março a 30 de Abril.

Tania Bruguera

Com um corpo de trabalho que tanto se inclina para a instalação como para a performance — mas que nunca perde de vista o ponto prévio de que a arte é a continuação da política por outros meios —, Tania Bruguera (Havana, 1968) estreará na BoCA a sua primeira encenação a partir de um texto teatral canónico: Fim de Partida, de Beckett, que chega ao Teatro Nacional São João a 20 e 21 de Abril. Detida mais do que uma vez pelas suas provocações ao regime castrista, Bruguera é a fundadora do Instituto de Artivismo Hannah Arendt, que desde 2015 trabalha para a mudança em Cuba.