A Pata D’Açúcar que ajuda a controlar a hipoglicemia

Associação resgata cães de canis e treina-os para serem parceiros inseparáveis de pessoas com diabetes

Foto
Navesh Chitrakar/ Reuters

Há dias estava a passear pelo Facebook quando encontrei o José Antunes e a Associação Pata d’Açúcar. As palavras que me chamaram a atenção foram “resgata cães de canis” e “diabéticos”. Quis saber um pouco mais sobre esta associação, pesquisei e descobri um trabalho de grande louvor.

A diabetes é uma doença contra a qual muitos de nós lutam. Quase um milhão de portugueses, segundo dados da Organização Mundial de Saúde. A doença mata cerca de 12 pessoas por dia, no nosso país. Crianças, jovens, adultos, idosos.

O José Antunes é diabético e vice-presidente da Associação Pata d’Açúcar. Teve conhecimento de que haveria a possibilidade de treinar cães para detectar situações de hipoglicemia, em humanos. O José é insulino-dependente: ou seja, precisa de controlar os seus níveis de glicemia. Descobrir que um cão pode ser treinado para ajudar as pessoas a controlar a sua doença trouxe-lhe a companhia canina do seu melhor amigo, o Thor, com quem tem partilhado os treinos.

Nuno Benedito, director técnico da vertente de treino, na Quinta d’Alcateia, encabeça a presidência da associação e abraçou o projecto no momento em que José o procurou para alavancar o mesmo.

Além do serviço de assistência na saúde que o cão presta aos doentes há um lado emocional e de segurança que o convívio diário com um “amigo de quatro patas” proporciona a quem procura o seu apoio. Obriga-nos ao exercício físico e a socializar: o cão é a “desculpa ideal” para caminhar ou correr, várias vezes ao dia e isso também contribui para uma melhoria do estado de saúde do diabético.

Convém sublinhar que a presença do cão não substitui o controlo diário dos níveis de glicemia, através dos aparelhos adequados e que fazem parte da rotina dos doentes.

A Associação Pata D’Açúcar afigura-se como uma entidade que pratica a solidariedade em modo “dois em um”: por um lado, visa ajudar os diabéticos a ter um estilo de vida mais saudável e a sentirem-se mais seguros; por outro lado, pretende resgatar animais que possam ser treinados para detectar hipoglicemias. Trata-se de uma associação sem fins lucrativos e que conta com o apoio de todos os que a ela se queiram associar.

A Associação portuguesa integra a Medical Dogs for Diabetics e está sediada no Seixal. Poderão contactá-la através da página de Facebook ou via e-mail (patadacucar.geral@gmail.com).