Le Monde cria base de dados para ajudar leitores a identificar notícias falsas

O jornal analisou 600 sites com informação "pouco confiável".

Les Décodeurs é o nome da equipa do Le Monde que ficou à frente do projecto da base de dados
Foto
Les Décodeurs é o nome da equipa do Le Monde que ficou à frente do projecto da base de dados Reuters/PHILIPPE WOJAZER

O jornal francês Le Monde prepara-se para lançar três novas ferramentas de identificação de notícias falsas e teorias da conspiração. A equipa do jornal que se dedica a identificar informações falsas, conhecida pelo nome Les Décodeurs, esteve a analisar mais de 600 sites de modo a poder construir uma base de dados. Esse conjunto de dados vai alimentar três produtos da linha Découdex: um motor de busca, uma extensão para browsers e um bot para o Messenger do Facebook. O lançamento está previsto para Fevereiro.

Os 600 endereços que compõem a base de dados do Le Monde são na maioria franceses, mas com alguns destaques internacionais. O Breitbart, um site americano conservador que está a tentar expandir-se em França e na Alemanha, é um dos exemplos. 

Os criadores tentaram dividir as notícias falsas em três grupos: as completamente falsas; as que têm alguns pontos verdadeiros mas que estão enredados em mentiras; e as que são marcadamente facciosas ou partidárias. Decidiram incluir também sites que, não publicando exclusivamente notícias falsas, agregam conteúdos extremistas que dão apenas uma visão parcial dos factos, assim como os sites de conteúdo satírico que não se identifiquem inequivocamente como tal. 

A equipa do Les Décodeurs não quer fazer desta base de dados um projecto político: “[O site] pode ser de extrema-direita, desde que respeite os factos e não procure manipulá-los”, salienta Samuel Laurént, citado pelo Digiday.

Em conjunto com o motor de busca (que permite que as pessoas procurem pelo endereço, nomes de marcas ou palavras-chave), o Découdex oferece também duas extensões para browsers: uma para o Google Chrome e outra para o Firefox. Estas extensões vão alertar os utilizadores para as histórias falsas, as que não foram verificadas e as verdadeiras, adoptando um sistema semelhante ao de um semáforo: a extensão fica com um sinal verde quando a história é verificada, amarelo quando não é verificada e vermelho quando é falsa. 

Em paralelo, foi desenvolvido um bot para o Messenger do Facebook. Desta forma, os utilizadores podem verificar os factos falsos através de uma ferramenta muito utilizada para os disseminar: o próprio Facebook.

O Découdex foi desenvolvido dentro de um modelo de código aberto (open source) e vai estar disponível em regime de licenciamento livre. Desenvolvido ao longo de um ano, prevê-se que esteja constantemente a ser actualizado.