Vendas do retalho da Sonae superaram os cinco mil milhões em 2016

Dados preliminares revelam crescimento anual de 7,2%, que foi mais acentuado no quarto trimestre.

Crescimento das vendas de retalho, com destaque para o Continente, registado em clima adverso.
Foto
Crescimento das vendas de retalho, com destaque para o Continente, registado em clima adverso. Enric Vives-Rubio

As vendas das áreas do retalho da Sonae aumentaram 7,2% em 2016, superando, pela primeira vez, os cinco mil milhões de euros, de acordo com a informação revelada nesta quarta-feira pelo grupo liderado por Paulo Azevedo.

A expansão de pontos de venda, com a abertura de mais de duas centenas de lojas (próprias ou franquias, que elevam o universo de lojas a cerca de 1600, nos diferentes formatos), contribuíram para a evolução positivas das vendas, explicou Luís Filipe Reis, da administração da Sonae, em declarações ao PÚBLICO.

O responsável destaca que os resultados “são duplamente positivos”, por se ter alcançado um aumento do volume de negócios e reforçado a liderança, num contexto de forte concorrência.

As vendas – ainda preliminares, dado que as contas do exercício ainda não estão fechadas – foram “positivamente” impulsionadas por todas as unidades de negócio, onde o retalho alimentar (Sonae MC) tem um peso muito elevado, correspondendo a 3700 milhões de euros.

No conjunto do último ano, a área de retalho alimentar da Sonae (proprietária do PÚBLICO), alcançou um crescimento de 5,6%, a reflectir o reforço das lojas de proximidade. A variação de vendas no universo comparável de lojas da Sonae MC foi de 1,9%, incrementado nos últimos dois trimestres. Este crescimento reflecte um conjunto de medidas implementadas com “o objectivo de reforçar a proposta de valor do Continente”, designadamente através de “campanhas de comunicação inovadoras e descontos mais efectivos”, e ainda de “uma oferta de perecíveis verdadeiramente competitiva”.

Aposta na alimentação saudável

Na Sonae SR, a área de retalho especializado, o grupo reporta um crescimento de 11,2% do volume de negócios, para 1400 milhões de euros. Neste universo, a Worten reforçou a sua posição de liderança em Portugal, com um ganho de 10 pontos base de quota de mercado e um crescimento de mais 50% nas vendas online em Dezembro.

De acordo com a informação enviada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, o segmento de Sports & Fashion (desporto e moda) cresceu 31,3%, “registando crescimento das vendas no universo comparável de lojas e beneficiando do contributo positivo do portefólio original, que nos últimos dois anos foi reforçado com a integração da Salsa e da Losan”. Para além da expansão de pontos de venda, as vendas também foram reforçadas pelo incremento das exportações de produtos.

Como habitualmente, o Natal teve um impacto positivo nos negócios de retalho, um crescimento de vendas de 8,8%, acima da evolução anual. As vendas do retalho alimentar cresceram 6,6%, e a do retalho especializado 14,4%.

Na recta final do ano, a Sonae abriu o primeiro supermercado, em Lisboa,  totalmente dedicado à alimentação saudável, um segmento em que o grupo está a apostar. Neste domínio, o primeiro passo foi dado com o acordo de aquisição de uma participação de 51% na Go Well que, em Portugal, opera sob a marca Go Natural.