O que é o Die Linke, a extrema-esquerda alemã?

Catarina Martins estará, no domingo, num comício deste partido alemão

Foto
O Die Linke é uma espécie de familiar do Bloco de Esquerda Reuters/KAI PFAFFENBACH

O Die Linke foi criado em 2007, através da fusão de duas outras formações políticas, uma delas a que governava a Alemanha de Leste. Tem por objectivo chegar ao socialismo e derrotar o capitalismo mas pela via democrática. É um partido de extrema-esquerda que, em resultado das legislativas de 2013, é a maior força da oposição na câmara baixa do Parlamento alemão. Isto porque a grande coligação de governo, que inclui a CDU (centro-direita) e o SPD (centro-esquerda) tem 503 dos 630 deputados. As sondagens dão-lhe certa de 10% das intenções de voto nas eleições do próximo Outono, e tem assumido uma posição que aponta para a rejeição de coligações. O Die Linke tem sido um dos principais motores da oposição ao tratado de comércio internacional com os EUA, e mais recentemente tem-se colado à retórica usada pelo líder trabalhista britânico Jeremey Corbyn e ao norte-americano Bernie Sanders. Está ligado aos partidos de esquerda europeus, como o Bloco de Esquerda ou o Syriza. Mas assume posições nacionalistas. A líder parlamentar do partido, Sahra Wagenknecht, tem sido criticada por ter assumido posições que a aproximam da extrema-direita relativamente aos refugiados.