Ministro Vieira da Silva garante que pensionistas não serão penalizados em 2017

Embora haja uma redução já este mês, Vieira da Silva diz que "isso não quer dizer" que os pensionistas sejam prejudicados "no valor das suas pensões".

A actualização de todas as pensões até aos 842,64 euros à taxa de inflação de 0,5% abrange 86% do universo dos pensionistas
Foto
A actualização de todas as pensões até aos 842,64 euros à taxa de inflação de 0,5% abrange 86% do universo dos pensionistas Enric Vives-Rubio

O ministro do Trabalho, Vieira da Silva, garantiu esta quinta-feira que os pensionistas não serão prejudicados no valor das respectivas pensões este ano, apesar de o montante que vão receber em Janeiro ser um "pouco mais baixo".

"Com a aprovação do Orçamento do Estado para 2017 (OE2017) são actualizadas todas a pensões até um valor de 842 euros. Essa actualização irá acontecer já a partir do mês de Janeiro, mas acontece que no mês de Janeiro poderá ter um valor um pouco mais baixo na sua pensão", afirma Vieira da Silva num vídeo esta quinta-feira lançado no Twitter do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

Os pensionistas da Segurança Social e da Caixa Geral de Aposentações irão receber em Novembro ou em Dezembro metade do subsídio de Natal, sendo a outra metade paga em duodécimos ao longo do ano, o que se traduz numa redução mensal do montante das pensões, que será sentida já em Janeiro.

Embora haja uma redução já este mês, o ministro da tutela salienta, no vídeo, que "isso não quer dizer" que os pensionistas sejam prejudicados "no valor das suas pensões", uma vez que, "ao contrário dos anos anteriores, passará de novo a existir o subsídio de Natal".

"Mas aquilo que podemos garantir é que com esta actualização e com o aumento extraordinário, que para muitos pensionistas será em Agosto, no final do ano de 2017 o valor da sua pensão será seguramente maior para a esmagadora maioria dos pensionistas, do que aquele que existiu em 2016", assegura o ministro da tutela.

Num encontro com jornalistas no passado dia 4 de Janeiro, para apresentação da política de rendimentos para 2017, Vieira da Silva indicou que as pensões serão processadas em Janeiro já com o aumento em linha com a inflação até 838,44 euros, mas com os duodécimos do subsídio de Natal pagos a 50%, o que fará encolher o rendimento mensal dos pensionistas.

Na altura, o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social disse tratar-se de uma "redução transitória".

O subsídio de Natal deixou de ser pago integralmente em 2013, passando a ser distribuído pelos pensionistas pelos 12 meses do ano, até ao ano passado.

A actualização de todas as pensões até aos 842,64 euros à taxa de inflação de 0,5% abrange, de acordo com a equipa de Vieira da Silva, 86% do universo dos pensionistas. Os beneficiários da actualização extraordinária prevista para Agosto para os pensionistas com pensões totais inferiores a 631,98 euros (de 10 ou seis euros, dependendo do tipo de pensão) poderão ainda contar com um acerto no final do ano.

De Janeiro a Agosto, o duodécimo é calculado com base na pensão de Janeiro e, no final do ano, será processado o valor dos restantes 50% do subsídio de Natal, incluindo um acerto do diferencial, uma vez que o subsídio de Natal é pago por referência ao mês de Dezembro