Rei garantiu a Marcelo que não serão tomadas decisões unilaterais sobre Almaraz

Ministros dos Negócios Estrangeiros português e espanhol afirmaram ao Presidente da República que em breve haverá reuniões bilaterais sobre aterro nuclear perto da fronteira entre os dois países.

Marcelo recebeu Felipe VI na terça-feira em Belém
Foto
Marcelo recebeu Felipe VI na terça-feira em Belém LUSA/JOAO RELVAS

O Presidente da República recebeu do rei de Espanha, Felipe VI, na terça-feira, a garantia de que não serão tomadas decisões unilaterais sobre o projecto do aterro temporário para resíduos nucleares em Almaraz, junto ao rio Tejo e a cerca de 100 quilómetros da fronteira com Portugal, apurou o PÚBLICO.

O assunto foi abordado na breve audiência concedida por Marcelo Rebelo de Sousa no dia das cerimónias fúnebres de Mário Soares, em que o monarca espanhol fez questão de participar.

O PÚBLICO sabe também que os dois ministros dos Negócios Estrangeiros português e espanhol garantiram ao chefe de Estado luso que em breve haverá novas reuniões bilaterais para tratar deste assunto.

Confirma-se assim o passo atrás da diplomacia espanhola para suspender a construção do aterro nuclear e abrir espaço a que Portugal aceite sentar-se à mesa, noticiada pelo PÚBLICO, estando entreaberta a porta para que o Governo aceite participar na reunião prevista para quinta-feira, tal como afirmava na terça-feira à noite o Ministério dos Negócios Estrangeiros.

No entanto, o ministro do Ambiente ainda não quis, esta quarta-feira de manhã, confirmar essa participação na reunião. João Pedro Matos Fernandes afirmou aos jornalistas no Porto que as entidades diplomáticas dos dois países estão "muito perto de fechar" o acordo para a sua presença no encontro, mas que "só faz sentido haver" um encontro "havendo coisas para discutir".

Questionado sobre os objectivos de Portugal na reunião, o ministro do Ambiente disse pretender discutir "o projecto do aterro temporário para resíduos nucleares em Almaraz" e "iniciar uma conversa sobre a revisão da Convenção de Albufeira", que rege a forma como os rios internacionais são geridos entre Espanha e Portugal.

Para quinta-feira está também agendada uma manifestação, em Lisboa, pelo encerramento da central nuclear de Almaraz, localizada na margem do rio Tejo.