Partizan Belgrado suspenso três anos das provas europeias por dívidas

UEFA teve mão pesada para clube sérvio pela sua reincidência em dívidas ao fisco e à segurança social e espera evitar outros casos.

Partizan vai estar afastado das provas da UEFA nos próximos três anos.
Foto
Partizan vai estar afastado das provas da UEFA nos próximos três anos. Reuters/MARKO DJURICA

A UEFA castigou, esta quarta-feira, o clube sérvio Partizan Belgrado com uma pena de três anos de suspensão de participação nas provas do organismo europeu de futebol: Liga dos Campeões e Liga Europa. A penalização deveu-se às dívidas não pagas ao fisco e à segurança social - no valor de 2,5 milhões de euros -, que o histórico clube sérvio tem por colmatar.

A suspensão do Partizan Belgrado das competições europeias por três anos é uma pena severa, mas que a UEFA fundamenta com a reinicidência do clube sérvio, tendo estado em divida por três vezes nos últimos cinco anos. Citando "um conjunto de circunstâncias muito semelhantes" ao do último caso de dívida do Partizan, em 2013, quando a suspensão durou um ano. O órgão de controlo financeiro dos clubes da UEFA reforça a sua decisão com o argumento de que apenas uma punição mais severa "é apropriada e capaz de produzir um efeito dissuasor geral".

O Partizan Belgrado, como a maioria dos clubes da Sérvia, foi fundado após a II Guerra Mundial - 4 de Outubro de 1945. Na sua origem era um clube militar, conquistando a independência do exército jugoslavo só no final da década de 1950. É um clube com relativo sucesso nacional (venceu 20 campeonatos), mas o maior feito internacional da sua história foi a presença na final da Liga dos Campeões em 1966, realizada em Bruxelas, em que foi derrotado pelo Real Madrid, por 2-1.