Agora é definitivo: o museu de George Lucas será construído em Los Angeles

Depois das hipóteses São Francisco e Chicago e de um processo turbulento, foi anunciada esta terça-feira a decisão de construir o Museu George Lucas da Arte Narrativa na cidade californiana. A colecção terá mais de dez mil peças (incluindo, claro, as relativas a Star Wars).

O museu acolherá dez mil peças coleccionadas por George Lucas e terá um custo de 950 milhões de euros
O museu acolherá dez mil peças coleccionadas por George Lucas e terá um custo de 950 milhões de euros Lucas Museum of Narrative Art
O museu acolherá dez mil peças coleccionadas por George Lucas e terá um custo de 950 milhões de euros
O museu acolherá dez mil peças coleccionadas por George Lucas e terá um custo de 950 milhões de euros Lucas Museum of Narrative Art
Fotogaleria

Primeira foi a ideia de o construir em São Francisco, onde está instalada a sede da Lucasfilm. Depois, George Lucas virou atenções para Chicago. Em Chicago, o projecto foi aprovado pelos responsáveis municipais, mas, entretanto, um processo judicial interposto por grupos de conservação da natureza, que contestavam a localização do edifício nas margens do lago Michigan, fê-lo desistir da ideia. Voltou-se novamente para a Califórnia, procurou espaços adequados em Los Angeles e São Francisco e, agora, por fim, é oficial — o Museu George Lucas da Arte Narrativa será instalado na Cidade dos Anjos.

O conselho de administração anunciou a decisão esta terça-feira, explicando num comunicado enviado à revista Time os motivos que o levaram a preterir a localização numa ilha na baía de São Francisco em favor de Los Angeles. O museu será construído numa zona recheada de equipamentos culturais, o que lhe oferece melhores possibilidades de “conseguir ter o maior impacto possível na comunidade em geral”, cumprindo o objectivo de “inspirar, atrair e educar um público vasto e diverso”.

O museu do criador de Star Wars abarca bem mais do que o material relativo à saga. O objectivo de Lucas, de 72 anos, foi reunir exemplares de arte popular que “contam uma história”. Ou seja, estarão representadas tanto a fotografia de Robert Capa ou Sebastião Salgado como a BD de Robert Crumb e Charles Schulz ou a pintura de Edgar Degas e Pierre-Auguste Renoir, sem esquecer, claro, o cinema de Hollywood, cuja memória compõe parte importante da colecção de Lucas. Ao todo, serão dez mil as peças reunidas pelo realizador e disponíveis para exposição. Os custos de todo o projecto rondam, segundo o afirmado por Lucas, mil milhões de dólares (950 milhões de euros).