Complexo turístico Zmar recupera as infra-estruturas destruídas por um incêndio

Os trabalhos a realizar vão incidir no spa, restaurante, cozinhas, piscina interior com ondas e algumas salas. O eco-resort abrirá ao público durante o mês de Maio.

Foto
zmar

As obras de recuperação de edifícios e infra-estruturas do complexo turístico Zmar – Eco Campo Resort destruídas na sequência de um violento incêndio que ocorreu no passado mês de Setembro, já arrancaram no passado dia 2 de Janeiro.

Francesca de Mello Breyner, responsável pelas relações públicas do complexo turísticoassessora da empresa, adiantou ao PÚBLICO que os trabalhos que vão ser executados nos equipamentos danificados pelas chamas visam manter “no essencial” as estruturas anteriores. No entanto,a experiência recolhida desde 2009, ano em que o Zmar foi inaugurado, “permitem inovar, sobretudo na forma de funcionamento, na decoração dos espaços e na arquitectura”, explicou, realçando o propósito de “não se fugir muito ao projecto original”.

A empresa proprietária do Zmar decidiu, poucas semanas após o incêndio, reabrir o espaço ao público aos fins-de-semana com os equipamentos que não foram afectados pelo incêndio tendo como meta disponibilizar o empreendimento em pleno ainda no primeiro semestre de 2017.

Assim, e depois de ter celebrado a festa de réveillon que contou com a presença de cerca de 750 hóspedes, o Eco Resort fechou portas para dar início no dia 2 de Janeiro às obras de renovação do Zmar.

Uma das características que define o empreendimento, os equipamentos em madeira, vai ser mantida com a garantia expressa por Francesca Mello Breyner que o Zmar recorrerá a matéria-prima proveniente de florestas certificadas “em que a sustentabilidade é garantida e onde a taxa de crescimento supere a dos cortes efectuados”, acentua.

A preocupação pelas questões ambientais pretende associar a recuperação do Zmar ao Ano do Turismo Sustentável, declarado pela ONU. “O nosso projecto acredita e defende estes princípios que têm merecido o reconhecimento a nível nacional e internacional”, sublinha Francesca Mello Breyner  

Os trabalhos de recuperação vão incidir no spa, restaurante, cozinhas, piscina interior com ondas e algumas salas. A inauguração oficial do “novo” Zmar está prevista para Junho, mas espera-se que em Maio o Eco Resort já possa receber grandes grupos de hóspedes e eventos.

Recorde-se que o incêndio ocorrido ao final da tarde do dia 24 de Setembro, no complexo situado a 10 quilómetros da Zambujeira do Mar, em Odemira, provocou danos avultados e levou à retirada das instalações de cerca de 700 pessoas, entre clientes, funcionários e convidados de um casamento, mas não se registaram vítimas.

O apuramento das causas do fogo obrigou à realização de perícias pela Polícia Judiciária de Setúbal “mas ainda não se conhecem os resultados”, adiantou a porta-voz do Zmar, acrescentando que desde o início foi afastada a hipótese de mão criminosa. As causas poderão estar associadas a um curto-circuito num equipamento móvel, admite Francesca Mello Breyner.