Meryl Streep critica Trump: "Desrespeito convida ao desrespeito"

Sem nunca mencionar o nome de Donald Trump, a actriz teceu duras críticas ao Presidente eleito dos EUA e ao seu comportamento.

“Desrespeito convida ao desrespeito” foram palavras de Meryl Streep no discurso de aceitação do prémio carreira que recebeu este domingo, na 74.ª cerimónia dos Globos de Ouros. A actriz teceu duras críticas a Donald Trump, sem nunca ter mencionado o seu nome. Trump já respondeu acusando Streep de ser uma grande “fã de Hillary”.

Há momentos em que se pode dizer que o silêncio é ensurdecedor e o discurso de Meryl Streep na gala deste domingo dos Globos de Ouro foi um desses momentos. “Houve uma performance este ano que me impressionou”, começou por dizer Streep na abertura do seu discurso, numa cerimónia em que se premeia o que de melhor se faz no cinema e televisão. Contudo, Streep não se referia a ninguém presente naquela sala.

“Partiu-me o coração quando vi e continuo sem conseguir tirar aquilo da cabeça, porque não foi um filme. Foi a vida real”, continuou. A actriz referia-se a uma situação que ocorreu em 2015 durante a campanha de Donald Trump no Estado da Carolina do Sul quando o Presidente eleito imitou Serge Kovaleski, um jornalista com deficiência.

“Este instinto para humilhar quando é moldado por alguém que está numa plataforma pública, por alguém poderoso, consegue infiltrar-se na vida de toda a gente. Desrespeito convida ao desrespeito. Violência incita à violência”, continuou perante o silêncio evidente da plateia.

Donald Trump não deixou passar os comentários de Meryl Streep e, numa declaração por telefone ao New York Times, o republicano disse que “não estava surpreendido” com o facto de ser alvo de críticas por parte de “pessoas dos filmes liberais”. Trump diz não ter assistido ao discurso de Streep, a quem chamou grande “fã de Hillary [Clinton]”, devido ao forte apoio que a actriz deu à democrata que concorreu à Casa Branca.

A actriz fez ainda um apelo a Hollywood para que se mantivesse forte e unida, momento que mereceu aplausos da plateia, sobretudo quando Streep mencionou e agradeceu aos estrangeiros que integram toda a comunidade de Hollywood. “Se mandarmos todos os estrangeiros embora, não vamos ter nada para ver a não ser futebol e artes marciais. E isso não é arte", referiu. As afirmações da actriz representaram uma dura crítica à política de imigração que Trump pretende promover quando tomar posse, a 20 de Janeiro.