Torne-se perito

Autarca de Matosinhos regressou ao PS pela mão de Costa

“Isto é algo que só foi possível graças a António Costa e à relação excepcional que mantenho com ele”, declarou há dias Guilherme Pinto.

Fotogaleria
Nelson Garrido
Fotogaleria
Nelson Garrido

Guilherme Pinto regressou ao PS por insistência de António Costa. No último congresso distrital do PS-Porto, o secretário-geral socialista surpreendeu o conclave ao entregar ao autarca independente a ficha por si assinada de militante do partido, no qual militou muitos anos e em cujas fileiras realizou a maior parte da sua carreira política. A ficha era também assinada pelo líder da distrital do PS-Porto, Manuel Pizarro. Guilherme Pinto morreu na madrugada deste domingo.

Na altura, o presidente deixou claro que só regressaria ao PS depois de cessar funções na câmara para as quais foi eleito como independente. “Tal como prometi, mantive-me independente até ao fim do meu mandato”, disse Guilherme Pinto.

Depois de ter renunciado à presidência da autarquia e de outras instituições que liderava, o autarca quis regressar formalmente ao PS, num sinal de agradecimento pelo apoio que recebeu do partido, sem trair o estatuto de independente com que se candidatou em 2013.

“Isto é algo que só foi possível graças a António Costa e à relação excepcional que mantenho com ele”, declarou há dias Guilherme Pinto, que, enquanto esteve doente, contou várias vezes com a visita do secretário-geral do PS e primeiro-ministro.

Vice-presidente da Câmara de Matosinhos desde 2001, Guilherme Pinto apresentou a sua primeira candidatura pelo PS à liderança da autarquia em Julho de 2005, numa altura de profundas clivagens internas no partido a nível local. Nas eleições autárquicas de 2013, Guilherme Pinto funda um movimento e vai a votos como independente contra o líder concelhio do PS e presidente da Junta de Freguesia de Matosinhos, António Parada, e tira pela primeira vez a presidência da câmara ao PS.

Vence as eleições com maioria absoluta, pondo fim àquele que era um bastião socialista há 37 anos. "Fizemos história", disse por várias vezes Guilherme Pinto no seu discurso de vitória, referindo então que quando os cidadãos querem, não se fica sujeito "à ditadura dos partidos".

Guilherme Pinto encabeça a Comissão de Honra da candidatura socialista da deputada Luísa Salgueiro à Câmara de Matosinhos nas eleições locais que se realizam este ano. A relação entre o autarca e a deputada era de grande amizade e a intervenção de Guilherme Pinto foi crucial para que Luísa Salgueiro fosse a candidata socialista à câmara.