Vídeo viral: PSP investiga agressão a jovem de 15 anos

Caso ocorreu na via pública de Almada em Novembro, altura em que a mãe da vítima apresentou queixa na PSP. Inquérito está quase concluído.

Um vídeo que se está a tornar viral nas redes sociais mostra vários jovens a agredir um rapaz com socos e pontapés na cabeça. As imagens foram divulgadas esta quinta-feira pelo Correio da Manhã, mas o caso já está a ser investigado desde Novembro pelas autoridades. O porta-voz da PSP, Hugo Palma, confirmou ao PÚBLICO que o episódio terá acontecido numa via pública de Almada em Novembro passado, tendo a mãe da vítima, um menor de 15 anos, apresentado queixa na esquadra da PSP de Corroios. 

A participação foi depois encaminhada para o Departamento de Investigação e Acção Penal de Almada, que pediu à Esquadra de Investigação Criminal de Almada para apurar os factos. "As diligências de investigação estão quase concluídas", adianta Hugo Palma. Pelo menos três jovens foram identificados como alegados autores das agressões, tendo já sido ouvidos pela PSP. Mas há mais adolescentes envolvidos, a maior parte dos quais terá assistido à agressão, tendo alguns incentivado a violência. 

Isso mesmo é audível no vídeo, onde uma voz masculina repete "dá mais, dá mais". Depois ouvem-se risos. Mais à frente alguém diz que a vítima está a sangrar e um dos jovens insiste: "Já chega. Já chega. Acabou."

A mãe da vítima, Margarida Pimenta, contou à SIC que o filho, que está a tirar o curso de informática na Escola Profissional de Almada, recebeu um telefonema de um rapaz para se encontrar com ele depois das aulas. "Nas palavras dele [filho] para um 'mano a mano' para falarem sobre uma rapariga", afirmou. O filho terá ido ao encontro sozinho, mas quando lá chegou o jovem estava acompanhado por mais sete adolescentes. "Levou um murro que o deixou desmaiado e a seguir foi pontapeado. Fizeram-lhe uma cilada", refere Margarida Pimenta, que garante que o filho só se apercebeu de quantos jovens estavam no local quando viu o vídeo.  

O subcomissário João Moura, das relações públicas da PSP, adianta que parte dos menores envolvidos no episódio são alunos da Escola Secundária de Emídio Navarro, em Almada, e explica que o vídeo - que já era do conhecimento das autoridades - tem servido como meio de prova na investigação. Não foi possível obter nenhum comentário por parte dos responsáveis da instituição de ensino, já que o presidente do conselho executivo está fora em trabalho e os outros membros não estão disponíveis para prestar declarações. 

Este caso, segundo Hugo Palma, está registado como uma agressão na via pública, não estando incluído nas estatísticas da violência escolar. Isto porque a queixa não foi feita à equipa do programa Escola Segura, nem ocorreu no interior de uma instituição de ensino. 

Alerta-se para o facto do vídeo conter imagens consideradas chocantes