Torne-se perito

O maior World Trade Center vai nascer no Camboja e ser contruído pela China

As novas torres estão projectadas para medirem 560 metros e vão passar a fazer parte da lista dos edifícios mais altos do planeta.

As torres de Camboja vão ser o <i>world trade center</i> asiático em contraposição  ao que existia nos EUA
Foto
As torres de Camboja vão ser o world trade center asiático em contraposição ao que existia nos EUA AFP/DON EMMERT

Duas empresas chinesas assinaram contrato para construir em Phnom Penh duas torres gémeas que vão passar a ser as mais altas do mundo, superando a altura das Petronas, em Kuala Lumpur, divulgou a imprensa chinesa. Serão o novo World Trade Center do Camboja.

A Sino Great Wall International e o Wuchang Shipbuilding Industry Group vão construir as torres no prazo de cinco anos. Estas ficarão situadas numa das margens do rio Mekong, vão ter 560 metros de altura (mais 108 do que as Torres Petronas) e serão o quinto e sexto edifícios mais altos do planeta, escreveu esta quinta-feira o jornal China Daily.

Além de escritórios e apartamentos, as torres terão áreas de comércio, exposições e hotéis, assim como estacionamento subterrâneo equivalente a quatro andares. 

Ao Global Times, o presidente da Câmara do Comércio Chinês no Camboja, Gao Hua disse que as empresas chinesas estão bem cotadas mundialmente em termos de qualidade e controlo de custo. “Isto vai dar ao proprietário um edifício de elevada qualidade, reduzir custos e encurtar o período de construção, o que quer dizer que o dono terá mais tempo para usufruir da propriedade”, salienta Gao Hua.

O projecto, com um orçamento de 2.700 milhões de dólares e assinado a 31 de Dezembro, é financiado pelo Thai Boon Roong Group, do Camboja, o qual vai dar o nome aos arranha-céus, e também conta com o apoio da empresa Sun Kian Ip Group, de Macau.

Sugerir correcção