Torne-se perito

"Carro voador" israelita está quase a chegar ao mercado

Veículo pode transportar até 500 quilos e deverá custar mais de 13 milhões de euros.

Fotogaleria
O Cormorant pode chegar ao mercado até 2020 Reuters
Fotogaleria
Reuters
Fotogaleria
Reuters
Fotogaleria
Reuters
Fotogaleria
Reuters
Fotogaleria
Reuters

Após 15 anos de desenvolvimento, uma empresa de tecnologia israelita está optimista que, finalmente, conseguirá colocar no mercado até 2020 o seu drone de passageiros, também chamado “carro voador”.

O Cormorant pesa uma tonelada, pode transportar 500 quilos e viajar a 185 quilómetros por hora. O seu primeiro voo automatizado foi realizado em Novembro e, quando chegar ao mercado, o preço deve rondar os 14 milhões de dólares (cerca de 13,4 milhões de euros).

Os especialistas da Urban Aeronautics acreditam que o drone verde escuro, que usa rotores internos em vez de hélices de helicóptero, poderia retirar pessoas de ambientes hostis ou permitir acesso seguro a forças militares. "Basta imaginar uma bomba numa cidade... e este veículo pode entrar, pilotado de forma remota numa rua e descontaminar uma área", disse o fundador e presidente da Urban Aeronautics, Rafi Yoeli, à Reuters.

Yoeli criou a empresa em 2001 para lançar o drone, que diz ser mais seguro do que um helicóptero, pois pode voar entre edifícios e abaixo das linhas de energia sem o risco de bater com as hélices.

O Cormorant, do tamanho de um carro familiar e anteriormente chamado de "Air Mule", ainda não cumpriu todas as normas da Federal Aviation Administration e um teste em Novembro revelou pequenos problemas com dados contraditórios enviados pelos sensores de bordo.

Um especialista da indústria assegura que esta tecnologia pode salvar vidas. "Poderia revolucionar vários aspectos da guerra, incluindo a evacuação médica de soldados no campo de batalha", disse Tal Inbar, chefe do centro de pesquisa de UAV do Fisher Institute for Air and Space Strategic Studies.

Sugerir correcção