Porto Design Factory abre-se ao design de produto e à música

Organismo do Politécnico do porto lançou dois novos programas de aceleração de ideias de negócio.

O Porto Design Factory abriu em 2015, no Politécnico do Porto
Foto
O Porto Design Factory abriu em 2015, no Politécnico do Porto PP PAULO PIMENTA

O secretário de Estado da Indústria apresentou este terça-feira no Porto dois programas "pioneiros" de aceleração de ideias nas áreas do design de bens de consumo e da música, referindo que a "fronteira entre a indústria e a criatividade" deixou de existir. O Porto Design Accelerator e o Beta Sound System são os dois programas desenvolvidos pela Porto Design Factory, do Politécnico do Porto, que foram apresentados a uma plateia que contou com alunos mas também com representantes de alguns dos maiores grupos empresariais a operar em Portugal.

"O Porto Design factory tem vários projectos muito inovadores em vários sectores da nossa indústria e agora também na área da música e do 'design'. A minha presença aqui vem testemunhar o sucesso do trabalho feito, que é facilmente comprovável porque a indústria está aqui", disse João Vasconcelos. O secretário de Estado defendeu que é necessário "entender que a fronteira entre a indústria e a criatividade, entre indústria e o 'design' e entre indústria e a tecnologia, já não existe. A indústria de hoje e do futuro não vai ter fronteira com a criatividade".

O Porto Design Accelerator é um programa que alia o 'design' à manufatura portuguesa, apoiando 'startups' de desenvolvimento de bens de consumo produzidos em sectores industriais, desde a moda à metalomecânica, dos produtos urbanos ao mobiliário ou da área automóvel à cortiça e à cerâmica, entre outros. Este acelerador será desenvolvido pela Porto Design Factory, em parceria com o TICE.pt - Polo das Tecnologias de Informação, Comunicação e Eletrónica e com a Câmara do Porto.

O Beta Sound System é o primeiro programa português de aceleração de novas ideias de negócio para a indústria da música, desenhado para apoiar o trabalho dos artistas, investigadores e empreendedores e as mais promissoras 'startups' na indústria da música. Foi concebido e será gerido pela Porto Design Factory e pela Casa da Música, contando com a parceria da Antena 3.

Segundo o Politécnico do Porto, o programa Design Accelerator destina-se "a apoiar a inovação na indústria do 'design' de bens de consumo através da criação, lançamento e crescimento de 'startups' viradas para os produtos físicos. Este acelerador fornecerá suporte aos empreendedores, conectando-os à comunidade crítica, educadores, mentores, especialistas, fabricantes e retalhistas".

"O grande objectivo é transformar ideias em produtos físicos de grande consumo, aliando o 'design' a sectores industriais portugueses e não só: novos produtos para infraestruturas urbanas, mobiliário, moda, metalomecânica e moldes, sector automóvel e aeroespacial, cortiça, cerâmica e novos produtos emergentes, entre outros", sustenta a instituição.

Já o Beta Sound System pretende "apoiar o surgimento de uma nova geração de negócios, produtos e tecnologias da música, desde a criação musical até às novas formas de consumo de música, fornecendo apoio a equipas de empreendedores com ideias inovadoras de negócios 'music-driven'", refere o politécnico. A instituição acrescenta que este programa "ligará os empreendedores com o ecossistema de empreendedorismo, com os principais 'stakeholders' da indústria musical, e com mentores, peritos e recursos de prototipagem necessários para transformar ideias promissoras em produtos inovadores".

Para ambos os programas, os interessados deverão candidatar-se a partir de hoje e até 28 de fevereiro. Segue-se um período de avaliação e decisão, começando as dez startups vencedoras a trabalhar a partir de 01 de abril e ao longo de seis meses. As primeiras 12 semanas serão dedicadas ao desenvolvimento de produto, com um programa educativo "tailor made" e mentoria especializada, culminando num demo day; nas restantes 12 semanas, as startups receberão um programa "ready to scale", centrado nas fases de financiamento, produção e acesso ao retalho. As 'startups' vão trabalhar, em permanência, na Porto Design Factory, do Politécnico do Porto, ao longo das diferentes fases do projeto.