Orlando da Costa editado na Índia

António Costa é o primeiro alto governante europeu e ocidental cujas origens familiares são indianas. A sua progressão política foi seguida com atenção pelas autoridades indianas e com a sua ascensão a primeiro-ministro foi aberto caminho para a República da Índia formalizar o convite para uma visita de Estado, com um intenso programa oficial que se estende por seis dias.

Assinalando os laços ancestrais indianos de António Costa serão editados na Índia, em tradução inglesa, dois livros do escritor Orlando da Costa (1929-2006), pai do primeiro-ministro: O Signo da Ira e Sem Flores nem Coroas. O primeiro é uma peça que se passa na noite da anexação da Índia portuguesa. O segundo é considerado o principal livro deste escritor e passa-se em Goa.

Refira-se que o pai do primeiro-ministro, o escritor Orlando da Costa, é filho do goês Luís Rohin Jussilainen da Costa, casado com Amélia Maria Fréchaut Fernandes, que por sua vez nasceu em Moçambique.

Foi numa visita que os avós de António Costa fizeram à família de Amélia Maria que Orlando da Costa nasceu na então capital moçambicana, Lourenço Marques. Contudo, a criança e jovem que viria a ser escritor foi criado na Índia portuguesa, de onde saiu para vir estudar em Portugal. Foi já em Portugal que Orlando da Costa, por sua vez, conheceu e casou com a mãe do actual primeiro-ministro, a jornalista Maria Antónia Palla.

António Costa conheceu Goa e a Índia quando jovem, numa viagem que fez com o seu pai. Orlando da Costa e o seu filho agora primeiro-ministro de Portugal, pertencem a uma família goesa, brâmane e católica de Margão, território que integrava a Índia portuguesa. Há, aliás, ramos da família que permanecem em Goa e com os quais António Costa poderá agora voltar a encontrar-se na sua visita oficial.