Lalanda e Castro detido na Alemanha

Administrador demissionário da Octapharma foi detido esta quinta-feira de manhã.

fabio augusto/Arquivo
Foto
fabio augusto/Arquivo

Paulo Lalanda e Castro, administrador demissionário da Octapharma em Portugal, foi detido esta quinta-feira de manhã na Alemanha onde se encontrava em trabalho, confirmou a Procuradoria-geral da República (PGR) e a PJ. A detenção foi feita no âmbito de um mandado de detenção europeu, emitido pelas autoridades portuguesas. 

Em comunicado, a Polícia Judiciária informa que procedeu, através da Unidade Nacional de Combate à Corrupção, e em colaboração com as autoridades germânicas, à detenção "de um ex-administrador de uma empresa farmacêutica", sem referir o nome do mesmo. A PGR confirmou num comunicado divulgado ao final da tarde que o detido é Lalanda e Castro. "A detenção, em cumprimento desse pedido de cooperação judiciária internacional, ocorreu, esta manhã, na cidade alemã de Heidelberg", precisa a PGR.

Na nota da PJ revela-se que "o detido está a ser presente às autoridades judiciais daquele país a fim de validarem a detenção e decidirem da entrega às autoridades portuguesas". A PGR explica que a decisão definitiva quanto a esta matéria deve ser tomada no prazo de 60 dias após a detenção. Lalanda e Castro poderá opor-se à entrega, contudo, se a consentir o processo passa a ter uma tramitação mais rápida, que, segundo a PGR, é tomada, em regra, nos dez dias seguintes ao consentimento.

Se for decidida a entrega, a PJ deslocar-se-á à Alemanha para ir buscar Lalanda e Castro. Depois o suspeito terá que ser presente a um juiz de instrução nacional, que decidirá as medidas de coacção a que ficará sujeito. 

Lalanda e Castro apresentou ao conselho de administração da Octapharma, nesta quarta-feira, a sua demissão de todas as funções que desempenha na empresa, tanto em Portugal como na casa-mãe, na sequência da operação O Negativo.