Torne-se perito

Esquerda regressa ao poder na Roménia

PSD ganhou as eleições legislativas sem maioria.

Foto
Liviu Dragnea, líder do PSD, o partido que ganhou as eleições Reuters/INQUAM PHOTOS

O Partido Social-Democrata (PSD) da Roménia, de centro-esquerda, venceu as eleições legislativas deste domingo por larga margem, indicam as sondagens à boca das urnas. O partido deverá assim voltar ao poder, em coligação, um ano depois de o seu Governo ter caído após protestos contra a corrupção e contra um incêndio numa discoteca, que matou 64 pessoas.

As sondagens conduzidas pelos institutos CURS-Avangarde e IRES mostram que o PSD terá perto de 46% dos votos, sendo seguido pelo Partido Nacional Liberal (PNL), de centro-direita, com 22%.

O União para Salvar a Roménia, um novo partido anti-corrupção, terá 9,2% e o ALDE, um pequeno partido liderado pelo antigo primeiro-ministro Calin Tariceanu, um aliado do PSD, terá perto de 6%.

Os primeiros resultados oficiais deverão ser revelados nesta segunda-feira de manhã. Segundo a Reuters, observadores dizem que um Governo liderado pelo PSD deverá aumentar a despesa pública, incorrendo no risco de não cumprir o défice abaixo de 3%, exigido pela União Europeia.

“Estou emocionado com os resultados”, reagiu o líder do PSD, Liviu Dragnea, revelando que nos próximos dias vai iniciar conversações com o ALDE para formar uma nova maioria no Parlamento.

“O voto de hoje indica claramente a escolha dos romenos quanto ao futuro Governo,” acrescentou Dragnea.

No último ano, a Roménia foi liderada por um Governo tecnocrata, encabeçado por Dacian Ciolos, e que tomou posse para um mandato de um ano, após a demissão do Governo do PSD de Victor Ponta, que agora regressará ao poder com a promessa de aumentar os salários no sector público e de baixar os impostos.

Os protestos do ano passado foram desencadeados por um incêndio numa discoteca que não tinha saídas de emergência e onde não eram cumpridas outras medidas de segurança. Mas, diz a Reuters, muitos eleitores jovens não foram às urnas.

Os resultados eleitorais deste domingo são uma vitória para Liviu Dragnea, que foi condenado por fraude eleitoral em Abril (relativa a um referendo em 2012) e punido com dois anos de prisão com pena suspensa. Dragnea insistiu sempre que não era culpado.

“As sondagens mostram que teremos um Governo de esquerda”, analisou o comentador político Mircea Marian. “O principal problema é que passo a passo, muito lentamente, é provável que vá mudar as leis anti-corrupção”.

Tanto o PSD como o ALDE acusaram os procuradores anti-corrupção de terem motivações políticas nas suas investigações. Dragnea disse aos jornalistas em Junho que os romenos teriam de escolher entre “mais pão ou algemas”.

Durante o seu anterior Governo, entre 2012 e 2015, o PSD reverteu as medidas de austeridade postas em prática desde a bancarrota de 2008, ao baixar impostos, aumentar o salário mínimo e subir os vencimentos na função pública.

A Comissão Europeia prevê que o défice público da Roménia salte de 0,8%, em 2015, para 3,2% em 2017.

Sugerir correcção