Cinema

Bertolucci confessa que Maria Schneider desconhecia a cena de violação em O Último Tango em Paris

O realizador italiano e Marlon Brando combinaram a cena sem avisarem previamente a actriz. “Não queria que a Maria interpretasse a sua humilhação e raiva, queria que a Maria sentisse a raiva e a humilhação". As declarações do realizador são de 2013, mas só agora foram divulgadas.
Foto
O filme causou escândalo em 1972 (e uma corrida às salas de cinema) AFP

As declarações de Bernardo Bertolucci são de 2013 e confirmavam o que Maria Schneider já havia dito em entrevista em 2007, mas a polémica só surge agora. Isto, porque só agora foi divulgado um vídeo com aquilo que o realizador italiano disse há três anos na Cinemateca Francesa, em Paris, sobre a célebre e polémica cena de O Último Tango em Paris (1972), em que a personagem interpretada por Marlon Brando viola a interpretada por Maria Schneider com um pedaço de manteiga. E que disse Bertolucci? Que Schneider, 19 anos à altura, nunca deu o seu consentimento prévio à filmagem da cena. Nem poderia, de resto. “A sequência da manteiga foi uma ideia que tive com o Marlon [Brando] na manhã antes da filmagem”, revelou o realizador, explicando que queria dessa forma obter “a reacção dela enquanto rapariga, não enquanto actriz”. Por isso, apesar de se sentir “horrivelmente” por ter manipulado Schneider daquela forma, não se arrepende de o ter feito.

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

Anos antes, numa entrevista em 2007 ao britânico Daily Mail, a actriz falecida em 2011 explicara que a cena não estava no guião original. “Só me avisaram antes de filmarmos e eu fiquei tão zangada. Devia ter ligado ao meu agente ou ter chamado o meu advogado, porque não se pode forçar alguém a fazer algo que não está no guião mas, naquela altura, eu não sabia isso”.

Bertolucci defendeu que o desconhecimento da actriz quanto ao que se passaria na rodagem da cena era essencial para os seus objectivos. “Não queria que a Maria interpretasse a sua humilhação e raiva, queria que a Maria sentisse a raiva e a humilhação. E depois ela odiou-me para o resto da sua vida”.

Maria Schneider recordou que Marlon Brando a tentou acalmar antes da filmagem da cena. “Não te preocupes, Maria, é só um filme”, disse-lhe. No final, o acto simulado para as câmaras deixou a actriz a sentir-se “humilhada e, para ser honesta, um pouco violada, tanto por Marlon como por Bertolucci. Depois da cena, Marlon não me consolou nem pediu desculpa. Felizmente, foi só um take”, contou na entrevista supracitada. O rancor, porém, guardou-o todo para o realizador.

“A melhor experiência da rodagem do filme foi o meu encontro com Marlon”, que tinha 48 anos à época e que Maria Schneider dizia encarar como “uma figura paternal”. “Fomos amigos até ao fim, embora durante algum tempo não conseguíssemos falar do filme”. Em relação a Bertolucci, os sentimentos são claros. “Ele era gordo, pegajoso e muito manipulador, tanto em relação a Marlon como a mim”, acusou em 2007. “O Marlon disse-me mais tarde que se sentiu manipulado, e ele era o Marlon Brando, portanto pode imaginar como me senti eu”, afirmou, acrescentando “nunca ter perdoado verdadeiramente” a forma como foi tratada pelo realizador.

A divulgação das declarações de Bernardo Bertolucci suscitou várias reacções nas redes sociais. Ava DuVernay, a realizadora de Selma, twitou “Indesculpável. Como realizadora, mal consigo conceber isto. Como mulher, sinto-me horrorizada, enojada e enraivecida”. Anna Kendrick, estrela da saga Twilight, recordou que tinha tomado conhecimento dos factos na entrevista de 2007 de Maria Schneider e recorda que ao longo dos anos obtinha como reacção um revirar de olhos sempre que falava do assunto a “pessoas (aka gajos)”. Chris Evans, o actor que encarna o Capitão América, comentou no Twitter: “Não fazia ideia. Também me sentiria enraivecido. Eles deveriam estar na prisão”.

Bernardo Bertolucci tem actualmente 76. Eu e Tu, o seu filme mais recente, estreou em 2012. Marlon Brando morreu em 2004, com 80 anos.