Crónica

Ser hackeado

Quando recebi um mail da amazon-co.uk a dizer que eu tinha mudado o meu mail para outro esquisitíssimo cheio de pontos, pensei que estava a ser phishado. Reencaminhei o mail para o [email protected] e enchi-me de satisfação.

Durou para aí dois segundos. Fui logo a correr para ver a minha conta Amazon. Não me deixava entrar. Fui copiar o mail do hacker e, por sorte, ele não tinha mudado a password. Vi logo que ele tinha encomendado um novo iPhone e escolhido um endereço duma empresa no Reino Unido que reenvia para Portugal compras feitas no Reino Unido.

Lê-se online que acontece muito. Vão à morada à espera que chegue a embalagem e roubam-no das mãos do funcionário da empresa de transportes. Outros, mais audazes, andam fardados e batem à porta dizendo que houve uma entrega errada para roubarem a encomenda.

Felizmente eu não tinha dinheiro no cartão para comprar uma capa para um telemóvel e muito menos um telemóvel. Cancelei o cartão e fui aos Amazons todos recuperar as minhas contas e mudar as passwords. Só lhes faltou ir ao Amazon japonês.

Foi assustador mas a lição saíu-me barata. O serviço de apoio da Amazon foi formidável. Aconselhou-me bem e ajudou-me. Os hackers gostam de esconder as encomendas: tem de se ir ver os hidden orders. Cuidado: há muitas histórias de terror com contas da Amazon. A conclusão a tirar é que é facíl hackear uma conta. Deve-se ter passwords diferentes e complicadas para cada site e mudá-las uma vez por mês. E estar atento. E ter muito medo.