PR recebe fragata Álvares Cabral numa data "muito especial", 25 de Novembro

Marcelo embarcou no navio que regressou de uma missão da NATO de três meses no Atlântico Norte e aproveitou para enaltecer as Forças Armadas pelo seu papel na operação militar de 1975 que diz ter criado "condições para que pudéssemos viver como vivemos".

Marcelo enalteceu o papel dos militares no 25 de Novembro
Foto
Marcelo enalteceu o papel dos militares no 25 de Novembro NFS - Nuno Ferreira Santos

O Presidente da República presidiu esta sexta-feira à recepção à fragata Álvares Cabral, que esteve numa missão da NATO no Atlântico Norte, e considerou que a sua chegada acontece numa data "muito especial", 25 de Novembro.

Marcelo Rebelo de Sousa esteve nesta cerimónia com o almirante Macieira Fragoso, chefe do Estado-Maior da Armada (CEMA) que termina o mandato no próximo dia 8, mas nada disse sobre a polémica em torno da sua não recondução, porque não quis falar aos jornalistas nesta ocasião.

O chefe de Estado embarcou na fragata Álvares Cabral, que estava a meio do rio Tejo, pelas 10h35, vindo de Algés numa lancha, e esteve a bordo cerca de duas horas, até o navio atracar na Base Naval de Lisboa, no Alfeite, cerca das 12h30, terminando uma missão de cerca de 120 dias.

Num discurso aos militares que participaram nesta missão, Marcelo Rebelo de Sousa declarou: "É um dia muito especial este em que chegam, no fim de uma missão cumprida, à vossa terra, à nossa terra, às vossas famílias, mesmo quase em véspera de Natal. É um dia muito especial, porque é o dia 25 de Novembro".

"Os mais novos não têm a noção exacta do significado do 25 de Novembro. O 25 de Novembro de 1975 foi uma data fundamental para a democracia portuguesa, porque as Forças Armadas, pela sua determinação, criaram nesse dia condições para que pudéssemos viver como vivemos: com uma Constituição, com um Estado de direito democrático, com a legalidade, com a normalidade e a estabilidade política e institucional", acrescentou.