Ampliação do Museu do Prado foi entregue a Norman Foster

O projecto do arquitecto britânico para o museu madrileno contempla a recuperação e ampliação do Salão dos Reinos. Foster era um dos oito finalistas, numa lista onde se encontrava também Eduardo Souto de Moura

Fotogaleria
Visão transversal do projecto do arquitecto britânico Museu do Prado
Fotogaleria
Norman Foster foi, por exemplo, responsável pela nova entrada do Museu Britânico e pela cúpula do Reichstag, o parlamento alemão Miguel Madeira

Norman Foster será o responsável pela ampliação do Museu do Prado, anunciou esta quinta-feira o ministro da Educação, Cultura e Desportos espanhol, Íñigo Mendez de Vigo. A intervenção do arquitecto britânico será feita em colaboração com o atelier do espanhol Carlos Rubio e incidirá na recuperação e na ampliação do Salão dos Reinos. Finalizada a obra, o espaço ganhará 2500 metros quadrados de espaço expositivo. Norman Foster foi o escolhido de uma lista de oito finalistas onde se encontravam também Eduardo Souto de Moura, Rem Koolhaas ou David Chipperfield.

A transformação do edifício do século XVII, antigo Museu do Exército, está orçada em 30 milhões de euros (Foster receberá dois milhões pelo seu trabalho), quantia que se espera seja financiada em um terço por privados, e contempla a criação de um átrio amplo na fachada sul que conduzirá ao espaço expositivo. O projecto de Norman Foster, que lhe deu o nome de Traçado Oculto, permitirá ainda criar uma grande zona pedonal entre o Parque do Retiro e o Passeio do Prado, unificando assim toda a área ocupada pelo museu.

O ministro da Cultura confirmou ainda que as obras deverão ter início em 2019, o que deverá impossibilitar o cumprimento do desejo dos responsáveis pelo museu, que pretendiam que a inauguração dos novos espaços ocorresse nesse mesmo ano, aquele em que se celebra o bicentenário da instituição.

Entre os projectos de Norman Foster para edifício históricos contam-se a nova entrada do British Museum, em Londres, ou a cúpula do Reichstag, o parlamento alemão, em Berlim. Em Espanha, caberá também a Foster a ampliação do Camp Nou, o estádio onde actua o Futbol Club Barcelona.