Paredes do Terreiro do Paço voltam a ser tela de filme. Desta vez sobre o clima

O Arco da Rua Augusta vai voltar a ser a tela de um espectáculo de luz e cor. Desta vez, sobre as alterações climáticas.

Foto
Rui Gaudencio

E se as alterações climáticas pusessem o Natal em risco? Esta é a questão na base do novo espectáculo de videomapping que estará em exibição nas paredes do Terreiro do Paço, junto ao Arco da Rua Augusta, entre 14 e 23 de Dezembro e que promete chamar a atenção para a forma como o efeito de estufa afecta a vida no planeta - e o dia-a-dia - no planeta.

O enredo da história centra-se na aventura de Nicolau, o Pai Natal, que ao ter o seu palácio e oficina destruídos por uma avalanche, parte numa viagem pelos vários cantos do planeta, durante a qual se confronta com diversos problemas provocados pelas alterações climáticas e percebe que caso o homem não altere a sua atitude, o planeta irá sofrer cada vez mais.

O espectáculo O Novo Palácio de Nicolau é promovido pela Associação de Turismo de Lisboa e EGEAC e é produzido pela Bridge em parceira com a Grandpa’s Lab. O videomapping, exibido todos os dias entre 14 e 23 de Dezembro às 19h, 19h45 e 20h30, conta com narração em voz off e com pequenos excertos em português, permitindo que o público mais jovem possa acompanhar a aventura, que no original é em inglês. A história foi pensada para públicos de todas as idades, tem entrada gratuita e pretende alertar para a forma como o homem trata o mundo onde vive, podendo colocar em risco a própria celebração da quadra natalícia.

Já no próximo sábado, 26 de Novembro, o presidente da câmara de Lisboa, Fernando Medina, vai estar às 18h no Terreiro do Paço para ligar as iluminações natalícias que vão animar mais de 30 arruamentos da capital, num total de cerca de 164 quilómetros de cordão de luz com mais de 2 milhões de lâmpadas LED. A árvore de Natal, da altura de um prédio de dez andares, já está montada no Terreiro do Paço e é apenas uma das muitas decorações que se manterão até ao Dia de Reis (6 de Janeiro).

Texto editado por Ana Fernandes

Sugerir correcção