Morreu o pianista e compositor Leon Russell, “a maior influência” de Elton John

Tinha 74 anos e uma carreira feita quase sempre na sombra, com muitas das suas canções a serem sucessos na voz de outros.

Elton John com Leon Russell na cerimónia do  Rock and Roll Hall of Fame, em 2011, em Nova Iorque
Foto
Elton John com Leon Russell na cerimónia do Rock and Roll Hall of Fame, em 2011, em Nova Iorque Lucas Jackson/Reuters

Trabalhou com muitas estrelas do rock, do jazz e da coutry. Chamava-se Leon Russell, tinha 74 anos e morreu no domingo, durante o sono, na sua casa em Nashville, no Tennessee. Com a sua morte, outro músico, Elton John, perde uma referência determinante: “[É a minha] maior influência como pianista, cantor e escritor de canções”, disse o autor de megassucessos como Rocket man, Your song e Candle in the wind à ABC News.

Russell, o “mentor”, esteve longe de ter a popularidade deste “discípulo” que chegou a fazer a primeira parte de um dos seus concertos para depois o resgatar ao esquecimento ao convidá-lo para colaborar no seu álbum de 2010, The Union, mas assinou em nome próprio mais de 35 álbuns, escreve a agência de notícias Reuters.

Foi, no entanto, como compositor, vendo as suas canções serem interpretadas por outros, que Leon Russell conheceu mais êxitos. A song for you, talvez o seu maior sucesso, foi gravado por Joe Cocker, Carpenters, Temptations, Neil Diamond, Lou Rawls, Dusty Springfield, Ray Charles, Aretha Franklin e Willie Nelson. Os Carpenters voltaram às suas composições em This masquerade, registada também por Shirley Bassey, Robert Goulet ou George Benson.

Com o seu cabelo e a sua barba longos, chapéu de cowboy, Leon Russell era, dizem os críticos, um intérprete singular que começou a carreira como um pianista anónimo, muito solicitado pelos estúdios durante os anos 1960. Só na década seguinte surgiu como um dos intérpretes mais dinâmicos do rock, embora fosse breve o seu período de estrelato. Talvez isso ajude a explicar o facto de só um ano depois de Elton John o ter ido buscar para gravar The Union ter entrado para o Rock and Roll Hall of Fame.

Como intérprete merece destaque a sua participação, em Agosto de 1971, no célebre Concerto para o Bangladesh, organizado pelo antigo guitarrista dos Beatles, George Harrison, e pelo músico indiano Ravi Shankar para angariar fundos para as vítimas do genocídio naquele território. No mesmo ano Leon Russell viria a produzir Watching the river flow, de Bob Dylan.