20 anos de cinema brasileiro em Santa Maria da Feira ao som de Elis e Chico

A abrir o biopic Elis, com Andreia Horta no papel da cantora brasileira que faleceu prematuramente em 1982, e a fechar o documentário Chico - Artista Brasileiro.

Foto
Elis, com Andreia Horta no papel da cantora brasileira que faleceu prematuramente em 1982

É sob o signo da música que o Festival de Cinema Luso-Brasileiro de Santa Maria da Feira chega aos 20 anos de existência. A edição de aniversário, que terá lugar de 4 a 11 de Dezembro, faz a abertura com o biopic sobre Elis Regina, Elis, com Andreia Horta no papel da cantora brasileira que faleceu prematuramente em 1982, e encerra com o documentário sobre Chico Buarque realizado por Miguel Farias Jr., Chico - Artista Brasileiro. Pelo meio, o certame organizado pelo Cine Clube da Feira promete igualmente um ciclo de filmes brasileiros marcantes dos 20 anos da existência do festival, sob o genérico Vintage.

Elis, primeira longa para cinema de Hugo Prata, é um dos títulos que estará na competição do festival, a par de Mãe Só Há Uma de Anna Muylaert (realizadora de Que Horas Ela Volta?) e da co-produção portuguesa A Cidade onde Envelheço de Marília Rocha (premiado na competição nacional do Doclisboa). O festival anuncia igualmente a exibição do filme-ensaio Beduíno, mais recente obra de Júlio Bressane, estreada em Locarno, e Últimas Conversas, filme póstumo de Eduardo Coutinho (Cabra Marcado para Morrer), filmado ainda antes da sua morte em 2014 mas completado por dois colaboradores próximos, a montadora Jordana Berg e o produtor João Moreira Salles.