Mais de 12 mil professores assinam petição contra cortes na Educação

Nenhuma das 10 medidas propostas pela Fenprof foi acolhida no Orçamento do Estado para 2017, denuncia a federação liderada por Mário Nogueira.

Foto
Petição será entregue na sexta-feira por Mário Nogueira miguel manso

Mudar o Orçamento do Estado (OE) para 2017, que já foi aprovado na generalidade, de modo a garantir verbas para a entrada no quadro de mais contratados, e descongelar as carreiras dos docentes. Estas são algumas das propostas de uma petição lançada pela Federação Nacional de Professores (Fenprof) que, segundo anunciou nesta quarta-feira, já foi subscrita por mais de 12 mil docentes.

A petição será entregue no Parlamento nesta sexta-feira. Em comunicado, a Fenprof esclarece que não só nenhuma das 10 propostas que apresentou foi acolhida no OE para 2017, aprovado por todas as bancadas da esquerda, como este prevê ainda “um corte de 281 milhões de euros em recursos humanos”, situação que pretende ver esclarecida.

Na petição que será entregue no Parlamento refere-se que os docentes portugueses têm sido “vítimas de quase todas as medidas negativas impostas ao país”. Alguns exemplos apontados: “São dos grupos profissionais mais afectados pelo desemprego; a precariedade atinge níveis muito acima da média nacional; e a generalidade tem, desde 2011, o salário reduzido.”

O OE está agora a ser debatido na especialidade, prevendo-se que seja votado no final do mês.