Torne-se perito

Tsipras afasta críticos de privatizações em remodelação do Governo

Primeiro-ministro grego anuncia “novo começo” para acelerar reformas num sinal aos credores

Foto
Tsipras diz que remodelação permite "novo começo" para "os últimos passos cruciais da maratona" ANGELOS TZORTZINIS/AFP

O novo governo grego tomou posse este sábado depois de uma remodelação levada a cabo pelo primeiro-ministro, Alexis Tsipras. Quando os credores aumentam a pressão sobre o executivo liderado pelo partido de esquerda Syriza, onde muitos se opõem às privatizações de companhias da electricidade ou água, Tsipras afastou os principais críticos e nomeou um defensor para a principal pasta relacionadas com este dossier.

O primeiro-ministro escolheu para secretário de Estado da Economia o ex-responsável da agência grega para as privatizações, Stergios Pitsiorlas, tirando da pasta fulcral da Energia o ministro Panos Skourletis, conhecido crítico das privatizações, e deixando-a a cargo do fiel Giorgos Stathakis.

Stathakis saiu da Economia dando lugar à maior surpresa da remodelação, Dimitris Papadimitriou, economista que é presidente do Levy Economics Institute, com sede nos EUA (um centro de estudos apolítico mas, destaca o tablóide alemão Bild, crítico dos programas de austeridade da Europa).

Outro opositor das privatizações, Theodoros Dritsas, saiu do Ministério da Marinha Mercante.

Com estas alterações, Tsipras esperará dar um sinal aos credores de que o executivo quer acelerar a venda dos bens públicos prevista no terceiro acordo de empréstimo com a troika (FMI, Comissão Europeia e Banco Central Europeu). "Temos a oportunidade para um novo começo que nos dará o ímpeto necessário para os últimos passos cruciais de uma maratona até melhores dias", declarou Tsipras.

Noutro sentido, saiu ainda o ministro da Educação, Nikos Filis, que protagonizava algumas polémicas com a poderosa Igreja Ortodoxa grega. Mas manteve-se o ministro Nikos Pappas, que supervisionou o também polémico processo de distribuição das licenças de televisão, ficando ainda com mais responsabilidade, dos Media Digitais.

A remodelação não afectou as pastas-chaves do Governo, mantendo-se Euclides Tsakalotos nas Finanças, Nikos Kotzias nos Negócios Estrangeiros, e Panos Kammenos, o líder do parceiro de coligação Gregos Independentes (direita populista), na Defesa.

Sugerir correcção