Média de idades no governo açoriano é de 46 anos

Vasco Cordeiro apresentou esta quinta-feira o executivo para os próximos quatros anos. Um reforço no Turismo, que ganha uma secretaria, e a entrada de seis novos membros, são os destaques.

Foto
Vasco Cordeiro tem seis caras novas no seu governo Rui Soares

Seis caras novas e mais uma secretaria. O novo governo regional dos Açores, liderado pelo socialista Vasco Cordeiro foi apresentado esta quinta-feira, e conta como principal novidade, em relação ao executivo anterior, um novo departamento dedicado à Energia, Ambiente e Turismo.

“São áreas de importância estratégica para o futuro dos Açores que vêem, assim, reforçadas a sua componente institucional e de atenção política”, explicou Vasco Cordeiro no Palácio dos Capitães Generais, em Angra do Heroísmo, ilha Terceira, depois de ter entregue a composição do XII Governo Regional dos Açores ao representante da República para a região, Pedro Catarino.

Aos jornalistas, Cordeiro destacou a “média de idades” reduzida dos membros do governo – cerca de 46 anos –, vincando que o novo executivo, o segundo que chefia, apresenta uma “orgânica ágil” e está preparado para responder aos próximos desafios do arquipélago.

“Um elenco que está motivado, determinado e pronto a responder aos desafios que vamos enfrentar nestes próximos quatro anos nas mais variadas áreas”, disse, acrescentando que o governo está preparado para concretizar as linhas orientadoras e estratégicas que constam do programa eleitoral do PS-Açores. Um programa, lembrou, que foi sufragado pela maioria dos açorianos, nas eleições do passado dia 16 de Outubro.

Na véspera, e após ter sido indigitado presidente do governo açoriano pelo representante da República para a região, Cordeiro destacou a “vitória inequívoca do PS”, considerando que o resultado foi uma “manifestação expressiva” da confiança dos açorianos no projecto apresentado pelo partido.

Os socialistas, embora perdendo votos e um parlamentar, conquistaram mais uma maioria absoluta, a segunda com Vasco Cordeiro na liderança, elegendo 30 dos 57 deputados da Assembleia Legislativa Regional. O PSD, que também reduziu a votação e perdeu um deputado, continua como segundo força política na região com 19 parlamentares, seguido pelo CDS (quatro), Bloco de Esquerda (dois), enquanto a CDU e o PPM seguraram o deputado que tinham na anterior legislatura.

Apesar das seis caras novas, em 11 departamentos, Cordeiro manteve o núcleo duro do anterior executivo. Sérgio Ávila mantém a vice-presidência do governo, cargo que já exerceu nas três anteriores administrações, duas delas com Carlos César na liderança. Fica responsável pelas pastas do Emprego e da Competitividade Empresarial.

Quem também continua é Avelino Meneses na Secretaria Regional da Educação e Cultura e Andreia Cardoso com a pasta da Solidariedade Social. Vítor Fraga, que nos últimos quatro anos tinha a super-secretaria do Turismo e Transportes, com responsabilidades nas Obras Públicas e Energia, passa agora a tutelar ‘apenas’ os Transportes e Obras Públicas.

O Turismo ganha assim autonomia e passa para as mãos de Marta Guerreiro, uma das estreantes no executivo, que fica também com a Energia e Ambiente. Novidades também são as entradas de Gui Menezes (Secretaria Regional do Mar, Ciência e Tecnologia), Rui Luís (Saúde) e João Ponte (Agricultura e Florestas).

O executivo de Vasco Cordeiro conta ainda com dois secretários regionais Adjuntos da Presidência: um para os Assuntos Parlamentares (Berto Messias) e outro para as Relações Externas (Rui Bettencourt).

Uma das preocupações de Cordeiro, como é tradição no arquipélago, foi a descentralização. Assim, embora mantendo-se a presidência e vice-presidência em Ponta Delgada, ilha de São Miguel, tal como as Relações Externas e a Energia, Ambiente e Turismo, as restantes secretárias vão ficar sedeadas em Angra do Heroísmo e na Horta, Ilha do Faial, onde está também localizado o parlamento regional.

Vasco Cordeiro foi indigitado quarta-feira presidente do governo açoriano, pelo representante da República para os Açores. Pedro Catarino deu cumprimento ao Estatuto Político-Administrativo da Região, ouvindo primeiro os partidos com assento parlamentar, antes de formalizar o convite a Cordeiro para formar governo. A posse é esta sexta-feira às quatro da tarde.