Basta de touradas na RTP, pede plataforma em carta aberta

Segundo dados do Provedor da RTP, “a transmissão de touradas é o principal motivo de queixas dos telespectadores, representando em 2015 55% do volume total de queixas efectuadas”

Foto
Michael Hemingway/Unsplash

A exigência não é nova, mas continua actual: a Plataforma Basta pede ao Conselho de Administração da RTP que “escute os telespectadores” e acabe com a transmissão de touradas no canal público. Em 2015, de acordo com dados do Provedor do Telespectador, foram apresentadas 8.280 queixas sobre o tema. Já em 2016, a RTP voltou a emitir corridas de touros em directo, apesar da polémica abordada no programa “Voz do Cidadão”.

O mais recente pedido da Plataforma Nacional para a Abolição das Touradas foi feito através de uma carta aberta endereçada também aos presidentes dos conselhos de Opinião e Geral Independente da RTP, bem como ao ministro da Cultura, e entregue esta segunda-feira, 31 de Outubro. “Jaime Fernandes [o antigo Provedor do Telespectador] considerou que ‘a transmissão de touradas não é serviço público’ e que a RTP se devia abster de transmitir este tipo de conteúdos”, lê-se no início do documento. Em 2015, mais de metade (55%) das queixas feitas à entidade foram alusivas a esta transmissão.

Uma vez que “o Estado português reconhece que as touradas ‘podem ferir a susceptibilidade dos espectadores’, conforme está estipulado no Decreto-Lei n.º 89/2014 de 11 de Junho”, a Basta considera que a RTP “deve assumir uma posição de imparcialidade, abstendo-se de promover este tipo de conteúdo na sua emissão”, continua a carta.

Sendo a transmissão de corridas de touros “uma das fontes de receita da Casa do Pessoal da RTP”, a plataforma sugere, em alternativa, “a realização de um evento musical, com a colaboração de figuras públicas e artistas portugueses”, apelando assim “aos valores éticos e civilizacionais de respeito e compaixão pelos animais”.

Esta carta aberta surge um dia antes do fim da época tauromáquica e poucos dias após o presidente da Associação Portuguesa de Empresários Tauromáquicos ter admitido uma “pequena redução” no número de espectáculos em 2016, escreve a agência Lusa. Ainda assim, só nos últimos oito meses realizaram-se 200 espectáculos (menos 15 do que em 2015).