"Ninguém ganha eleições" com aposta na educação, lamenta Marcelo

Presidente participou no fórum empresarial onde defendeu que é preciso "ganhar a juventude" para o projecto ibero-americano.

Foto
Nuno Ferreira Santos/Arquivo

É possível ganhar eleições sem assessores, mas "ninguém ganha eleições com apostas na educação, afirmou o Presidente da República, Marcelo Rebelo de sousa, no encontro de presidentes que encerrou o XI encontro empresarial ibero-americano.

"Ninguém ganha eleições com educação, ganha-se com emprego, com situação económica, com a segurança", disse o Presidente como que lamentando que assim seja. A educação, lembrou Marcelo, é sempre uma aposta de médio e longo prazo, enquanto que as obras públicas "vêem-se para as eleições seguintes".

Para o Presidente português, os agentes educativos mudaram e a responsabilidade dos professores "é hoje muito maior", não tanto pelo que dizem, mas sobretudo pelo que fazem.

No seu tempo de criança, lembrou Marcelo, as referências eram a família e a Igreja; hoje os "gurus" são os futebolistas e as estrelas de televisão. E, também por isso, é mais difícil a tarefa dos educadores.

Marcelo invocou a sua condição de professor universitário, mas disse que a aposta decisiva na educação não é no ensino superior, mas nas crianças e na cultura cívica.

O Presidente português defendeu que é preciso "ganhar a juventude para a comunidade ibero-americana" e acabou por ser o que arrancou mais aplausos do auditório, apesar do seu 'portunhol'.

Já na sua primeira intervenção na sessão, Marcelo tinha arrancado aplausos ao elogiar o Presidente colombiano por ter ganho o Nobel da paz.

Além dos presidentes de Portugal e da Colômbia, participaram no encerramento do encontro empresarial os presidentes do Chile, México e Peru. Foi, aliás, o Presidente do Peru, com quem Marcelo tinha tido em encontro bilateral prévio, quem lançou o assunto "assessores" na sala, arrancando alguns sorrisos.

"Nunca se fiem nos assessores", disse Pedro Pablo Kuczynski, contando que dispensou os conselhos dos assessores na campanha eleitoral porque percebeu que "a juventude quer ouvir a verdade". Um reparo que levou o Presidente português a lembrar que também ganhou as eleições sem assessores.

O encontro empresarial antecedeu o jantar de chefes de Estado e de Governo que, esta sexta-feira à noite (madrugada em Lisboa) marca o arranque da cimeira ibero-americana, dedicada à juventude, empreendorismo e educação . Nas conclusões do encontro, os empresários pediram a normalização da situação na Venezuela, a criação de um observatório ibero-americano do empreendedorismo e um maior combate ao contrabando. 

Parceria PÚBLICO/Rádio Renascença