Ataque aéreo atinge escola em Idlib, na Síria, e mata sete crianças

Observatório Sírio dos Direitos Humanos diz que bombardeamento matou um total de 22 pessoas, 16 das quais civis.

Foto
Idlib é a maior região povoada da Síria ainda sob controlo da oposição e um alvo frequente dos ataques aéreos tanto sírios como da Rússia, Ammar Abdullah/Reuters

Pelo menos 22 pessoas, sete das quais crianças, morreram num ataque aéreo contra uma aldeia na província de Idlib, a maior região sob controlo da rebelião síria. Entre os alvos atingidos estão as escolas da localidade.

A informação foi avançada pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos, ONG que conta com uma rede de activistas espalhados pelo país, numa nota em que explica que “aviões militares, de nacionalidade não estabelecida, efectuaram seis raides na aldeia de Haas, junto a duas escolas que foram danificadas”. Segundo a mesma fonte, 16 civis morreram, entre eles um professor e sete alunos.

Pouco antes, a televisão estatal síria tinha anunciado a morte de vários combatentes naquela localidade, não fazendo qualquer referência a escolas atingidas.

Situada a oeste de Alepo, Idlib é a maior região povoada da Síria ainda sob controlo da oposição e um alvo frequente dos ataques aéreos tanto sírios como da Rússia, concentrados actualmente sobre a vizinha cidade de Alepo. A região é um feudo tanto da rebelião nacionalista como do Exército da Conquista, uma bem armada aliança de grupos islamistas e jihadistas como a Frente Fatah al-Sham (conhecida como Frente al-Nusra até se ter desligado formalmente da Al-Qaeda).