Licenciatura de adjunto do primeiro-ministro posta em causa

Confrontado pelo Observador, Rui Roque decidiu pedir esclarecimentos à Universidade de Coimbra sobre a licenciatura que declarou ter concluído.

Foto
Rui Roque estudou Engenharia Electrotécnica na Faculdade de Ciência e Tecnologia da Universidade de Coimbra SÉRGIO AZENHA

Rui Pedro Lizardo Roque, adjunto do gabinete do primeiro-ministro para os Assuntos Regionais, declarou ser licenciado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores pela Universidade de Coimbra (UC), mas a conclusão do curso foi questionada pelo jornal Observador e o próprio adjunto de António Costa admite que precisa de ver esclarecida a sua situação académica.

A história é contada nesta terça-feira pelo Observador, que avança que Rui Roque estudou Engenharia Electrotécnica na Faculdade de Ciência e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), mas sem ter completado o curso. Roque, adianta o jornal, entrou na universidade no ano lectivo de 1997/98 para o curso de Engenharia Física e, mais tarde, mudou para Engenharia Electrotécnica, na mesma faculdade.

A Universidade de Coimbra respondeu àquele jornal que, ao abrigo dos regulamentos, não pode fornecer “informações sobre os seus estudantes e antigos estudantes” e que “a única coisa que pode fazer é validar documentos oficiais, como sejam diplomas emitidos pela UC e confirmar ou não a sua veracidade”. Mas com base em fontes universitárias o Observador escreve que Rui Lizardo Roque não “aparece no sistema informático como licenciado e [que] não há registo até esta data de ter solicitado as equivalências [ao Processo de] Bolonha”.

Em Janeiro deste ano, ao ser nomeado adjunto do gabinete de António Costa, Lizardo Roque declara-se como “licenciado em Eng.ª Electrotécnica e de Computadores na FCTUC”, informação que consta da nota curricular anexada ao seu despacho de nomeação n.º 1395/2016, assinado a 4 de Janeiro deste ano, e publicado em Diário da República a 29 desse mês.

Agora, ao ser confrontado com as dúvidas sobre a conclusão da formação em Engenharia Electrotécnica, Roque diz que para se pronunciar tem de esclarecer a situação académica que o próprio declarou nove meses antes. Rui Pedro Lizardo Roque afirmou ao Observador: “Os dados constantes na minha nota curricular de nomeação baseiam-se nas informações prestadas pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra datadas de Outubro de 2009. Quando confrontado pelas vossas questões, eu próprio solicitei mais esclarecimentos da mesma instituição. Como ainda não obtive resposta, nada mais tenho a acrescentar”. Tendo-lhe sido pedido pelo mesmo jornal que mostrasse o documento de 2009, Rui Pedro Lizardo Roque recusou fazê-lo.

Além da licenciatura, a nota curricular publicada em Diário da República refere ainda que o adjunto foi “operador especializado na Sonae Distribuição, sócio-gerente da 3R Roque & Ribeiro, Lda., consultor da DZN RSK, Lda., e sócio-gerente da Rui Roque Unipessoal, Lda.”. O despacho de nomeação, tendo sido assinado a 4 de Janeiro deste ano, tem efeitos desde 1 de Janeiro.

Roque, de 36 anos à data em que António Costa o nomeou seu adjunto, nasceu em Lisboa e cresceu em Coimbra, pertencendo à federação distrital do PS pela concelhia de Soure e à Assembleia de Freguesia de Granja do Ulmeiro, onde é vogal.

Sugerir correcção