Cristas escreve a Juncker para lembrar que défice de 2015, afinal, é de 2,98%

É a terceira vez este ano que Assunção Cristas envia uma carta ao presidente da Comissão Europeia

Foto
Assunção Cristas escreve a Juncker mrh Martin Henrik

Assunção Cristas aproveitou este sábado de chuva para escrever novamente a Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia. Desta vez, a líder do CDS fez-lhe saber que o Instituto Nacional de Estatística português “procedeu a uma segunda notificação em que apresentou uma revisão em alta do valor do PIB nominal de 2015” para um valor que faz “reduzir o valor do défice” para 2,98%, excluindo o efeito Banif.

Com estes novos números, assume Cristas, torna-se “incontornável travar, sem mais, as sanções decorrentes do procedimento dos défices excessivos em cursos, nomeadamente quando à suspensão dos fundos comunitários para Portugal”. E assume: “Aplicar sanções a Portugal seria injusto e inqualificável”.

O INE apresentou uma revisão em alta do PIB nominal de 2015, com um valor consolidado de 179.539,9 mil milhões de euros, o que representa um acréscimo de 1,6% face a 2014. É este crescimento do produto que faz reduzir o valor do défice em percentagem do PIB para efeito de cálculo do défice.

Não é a primeira vez que Assunção Cristas escreve a Jean-Claude Juncker. Até o primeiro ministro já enviou uma carta ao presidente da Comissão Europeia.

Actualização a 24/10/2016: Corrige o valor do défice de 2015.