Zmar reabre com as estruturas que não foram afectadas pelo incêndio

Os cerca de 80 postos de trabalho do eco-resort foram mantidos e espera-se que a área destruída pelas chamas seja recuperada até ao período da Páscoa.

Foto
DANIEL ROCHA

Apesar dos estragos causados pelo incêndio que deflagrou no dia 24 de Setembro no Zmar Eco Experience, instalado a cerca de 10 quilómetros da Zambujeira do Mar, no concelho de Odemira, os seus proprietários decidiram reabrir o espaço ao público aos fins-de-semana a partir de 11 de Novembro enquanto as obras de recuperação do espaço não estiverem concluídas.  

Embora as chamas tenham afectado as instalações do spa, do restaurante, cozinhas, piscina interior com ondas e algumas salas do eco-resort, decidiram "reabrir o espaço com um modelo diferente” explicou ao PÚBLICO Francesca Mello Breyner, responsável pelas relações públicas e comunicação do parque de campismo instalado na Zambujeira do Mar, frisando que a empresa vai aproveitar a data “para festejar o S. Martinho”.

A solução encontrada para superar os condicionalismos impostos pela destruição de alguns equipamentos do Zmar, permite, ainda assim, retomar a actividade até que as obras de recuperação do que foi destruído pelas chamas estejam concluídas. Francesca Mello Breyner prevê que todo o eco-resort volte a estar acessível no período da Páscoa para aproveitar a grande procura que normalmente acontece nesta quadra festiva.

“É um modelo mais condicionado”, acentua a responsável do Zmar, mas que possibilita acolher no imediato “dois encontros de bem-estar com cerca de 900 pessoas vindas de todo o mundo”, seguindo-se um outro encontro sobre yoga, eventos que “concentram grande número de pessoas”, assinala.

Durante o período das obras de recuperação, o eco-resort vai estar aberto com os serviços de alojamento e de alimentação (pequeno-almoço ao sábado e ao domingo, jantar ligeiro com menu fixo ao sábado e um bar de apoio). Os que frequentarem as instalações vão dispor ainda de sala de estar, jogos de mesa e TV, serviço de massagens, espaço kids com workshops e ateliers, parque de diversões, circuito de arvorismo, courts de ténis e padel, campo desportivo, tiro com arco, aluguer de bicicletas, campo de matraquilhos humanos e circuito pedestre de manutenção. A estadia inclui acesso gratuito a todos os serviços, excepto arvorismo, aluguer de bicicletas, tiro com arco, massagens e refeições que estão sujeitos a uma taxa extra.

A “reconversão” temporária dos serviços prestados pelo Zmar é possível porque “grande parte das infra-estruturas ficaram intactas”, refere Francesca Mello Breyner, frisando que se trata de um modelo “mais personalizado”.

Entretanto, a Polícia Judiciária já concluiu as investigações que realizou para se conhecerem as causas que provocaram o incêndio “mas ainda não é conhecido o relatório que foi elaborado”, sublinha a porta voz do Zmar. Francesca Mello Breyner adianta ainda que as cerca de 80 pessoas que integram o quadro de pessoal do eco-resort “têm o seu posto de trabalho garantido”. Apenas foram dispensados os colaboradores que prestam trabalho temporário durante o período de Verão e que tinham contratos a termo.  

O incêndio que ocorreu no Zmar Eco Experience teve início às 17h39 de 24 de Setembro e forçou a retirada das instalações de cerca de 700 pessoas, entre clientes, funcionários e convidados de um casamento, mas não houve registo de vítimas.  

O combate às chamas mobilizou 98 operacionais e 35 veículos, sobretudo de corporações de bombeiros dos distritos de Beja e Setúbal. Todos os alojamentos do eco-resort ficaram intactos, e não houve perda de bens pessoais.

Sugerir correcção