Primeira edição do Festival Utopia para juntar jornalistas e cidadãos

Festival terá como objectivo angariar fundos para a realização do Congresso dos Jornalistas, 20 anos depois. A iniciativa é da Átomo e da Junta de Freguesia de Campolide.

Foto
©Enric Vives-Rubio

A primeira edição do Festival Utopia vai ter como objectivo a angariação de fundos para a realização do IV Congresso dos Jornalistas, marcado para Janeiro, depois de 20 anos de ausência.

Em comunicado, o Sindicato dos Jornalistas informou que se juntou à Casa da Imprensa, ao Clube dos Jornalistas, à Átomo - Cooperativa Cultural e Social e à Junta de Freguesia de Campolide, sendo estes dois últimos os principais impulsionadores desta iniciativa.

O sindicato explica que o Festival Utopia “pretende juntar jornalistas e cidadãos na defesa da causa do jornalismo, que tem como missão servir os cidadãos e contribuir para o bem-estar social".

O festival, que decorrerá no Jardim da Amnistia Internacional, em Campolide, vai contar com três debates, cerca de duas dezenas de concertos, arte urbana e uma edição especial do programa da TSF "Governo Sombra", no dia 21 deste mês pelas 19h, com Ricardo Araújo Pereira, Pedro Mexia, João Miguel Tavares e Carlos Vaz Marques. A abertura oficial do festival será no mesmo dia, às 18h. À noite, a partir das 20h, há concertos com João Afonso, Samuel, Jorge Rivotti, UHF e os DJ Filipe Pedro e Fernando Alvim.

No dia 22, sábado, haverá dois debates: "(Des)confiança", às 15h, com Sandra Monteiro, Helena Garrido e José Vítor Malheiros; e "Missão possível", às 17h30, com Ana Luísa Rodrigues, Paulo Pena, Tiago Carrasco e Paula Cordeiro. À partir das 20h, haverá música com Helena Sarmento, João Lima, António Portanet, Sebastião Antunes, Osso Vaidoso e os DJ Cláudia Marques Santos, Luís Varatojo e Nuno Lopes.

No último dia, domingo 23, haverá um único debate, subordinado ao tema "Bastidores", com a participação de Mário Cruz, Sandra Felgueiras, Micael Pereira e João Palmeiro. Os concertos começam mais cedo, pelas 18h, com Janita Salomé, Filipe Raposo, Ela Vaz, Quiné Teles e Andarilho 2.0.

Sugerir correcção