Filha de Tyson Gay morre em troca de tiros nos EUA

A filha adolescente do atleta norte-americano foi atingida no pescoço.

Fotogaleria
Trinity é filha de Tyson Gay (na foto), velocista dos EUA AFP/Christian Petersen
Fotogaleria

Uma troca de tiros entre ocupantes de dois carros num parque de estacionamento de um restaurante em Lexington, no estado do Kentucky, provocou a morte da filha de 15 anos do atleta Tyson Gay, Trinity.

Trinity Gay, que era também velocista, foi atingida no pescoço durante o tiroteio e morreu no hospital na madrugada de domingo. Segundo as autoridades, não estava em nenhum dos automóveis envolvidos na troca de tiros.

O próprio atleta confirmou, em declarações a uma televisão local, que a filha morreu. "Ela não resistiu. Sinto-me tão confuso. Ainda agora estava connosco. É de loucos, não sei o que se passou", disse o velocista, segundo declarações citadas pelo diário The Guardian.

A polícia lançou uma investigação por homicídio. Um dos automóveis foi localizado e duas pessoas foram detidas para interrogatório, mas a polícia procurava ainda o segundo veículo.

Lexington é a cidade do velocista que, com 9,69s, tem a segunda melhor marca de sempre de 100m do mundo, a seguir a Usain Bolt, e é o actual detentor do recorde norte-americano. Nos Jogos do Rio de Janeiro deste ano, Gay participou nos 4x100m, mas os EUA, que chegaram em terceiro lugar na final, acabaram desclassificados.