Espumantes vão passar a pagar imposto

Espumantes e sidras passam a estar incluídos nos Impostos Especiais de Consumo

Foto

Os vinhos espumantes e as sidras vão passar a pagar um imposto de 10,30 euros por hectolitro. Até agora, estas bebidas “fermentadas, tranquilas e espumantes” não estavam incluídas nos impostos sobre o álcool e pagavam “zero euros”.

A possibilidade de um imposto sobre o vinho tinha sido avançada pelo Correio da Manhã e muito contestada pelos produtores. De acordo com a proposta do Orçamento do Estado para 2017, a medida é aplicada, mas apenas aos espumantes e sidras.

Em 2017, os portugueses também vão pagar mais caro por uma cerveja, gin ou vodka. De acordo com uma versão preliminar do Orçamento do Estado para 2017, que esteve a ser trabalhada dentro do Governo durante a manhã desta sexta-feira, o agravamento do imposto sobre o álcool é de 3%, em linha com o que sucedeu em 2016. O vinho mantém-se fora deste imposto.

Assim, a confirmarem-se os valores que constam neste documento, o Orçamento do Estado para o próximo ano trará um agravamento do imposto sobre as cervejas de 8,22 euros por hectolitro (7,98 euros o ano passado) para os volumes de álcool mais baixos. Nas cervejas com maior teor alcoólico, o imposto passa de 27,24 euros para 28,90 euros por hectolitro.

No caso dos chamados “produtos intermédios”, como o Vinho do Porto ou as aguardentes vínicas, a taxa do imposto aumenta 3%, para 10,30 euros por hectolitro. As bebidas espirituosas, como o gin, pagarão 1367,78 euros, um agravamento na mesma proporção das restantes.

Veja todas as notícias sobre o OE 2017

Sugerir correcção