Vital e as pensões: "Se este é um preço a pagar pela ‘geringonça’, então é demasiado elevado"

O antigo eurodeputado socialista critica um possível aumento das pensões, medida que considera "duplamente injusta".

Foto
Joao Cordeiro

Vital Moreira, constitucionalista e antigo eurodeputado pelo PS, critica as propostas de PCP e Bloco de Esquerda para aumentar as pensões já no próximo Orçamento do Estado. O PCP avançou até com o valor mínimo de dez euros para as pensões mais baixas.

Num artigo publicado no seu blog Causa Nossa, Vital Moreira diz que é “má a ideia de acrescentar mais umas centenas de milhões de euros à despesa pública, num país que ainda está em laborioso processo de consolidação orçamental”.

Além disso, o político e jurista diz que Portugal “já tem uma das mais elevadas facturas de pensões no orçamento” e tem recebido “insistentes recomendações internacionais para reduzir essa factura”.

Mas há mais. O político e jurista considera ainda a medida “duplamente injusta”, isto porque, em primeiro lugar, não existem razões para aumentarem as pensões quando “os salários em geral continuam congelados” e, em segundo, porque “o adicional das pensões vai incidir sobre os contribuintes no activo”, o que, na visão do antigo eurodeputado, “quando chegar a sua vez, não vão beneficiar das pensões que agora são chamados a financiar”.

Por tudo isto, Vital Moreira garante que “se este é um preço a pagar pela ‘geringonça’, então é um preço demasiado elevado”.