Tiroteio em Aguiar da Beira: GNR apela a habitantes a que não saiam de casa

A GNR pediu aos habitantes das localidades de Candal, Póvoa das Leiras e Coelheira que "tranquem todas as portas e janelas das suas residências".

Foto
Hugo Santos

A Guarda Nacional Republicana (GNR) apelou a todos os residentes das localidades de Candal, Póvoa das Leiras e Coelheira para que não saiam de casa.

Em comunicado, a GNR explicou que a decisão foi tomada “em resultado das acções que estão neste momento em curso na zona de São Pedro do Sul, distrito de Viseu, para localizar e deter um indivíduo suspeito” do tiroteio ocorrido em Aguiar da Beira, e que matou um militar da GNR e dois civis. Há ainda dois feridos.

A recomendação aos habitantes destas localidades é a de que “tranquem todas as portas e janelas das residências”. A GNR explica igualmente que tem no local militares dos comandos de Viseu, Aveiro e Guarda, bem como membros da Unidade de Intervenção, operações especiais e cães.

"De igual forma e por motivos de segurança recomendamos a não utilização da Estrada Nacional 326, que faz a ligação entre as localidade de São Pedro do Sul e Arouca", dizem as autoridades.    

Neste momento as operações decorrem ao longo de vários quilómetros. No entanto, a visibilidade reduzida, devido ao cair da noite, e a forte chuva no local podem dificultar o trabalho de captura do suspeito.

Antes, José Carlos Almeida, presidente da Junta de Freguesia de Carvalhais e Candal, deslocou-se às proximidades da zona em causa, aconselhando os habitantes a regressarem a casa e aí se manterem.

As operações têm como objectivo encontrar pelo menos um dos suspeitos de ter disparado mortalmente contra um militar da GNR, ferindo outros dois, e de ter matado um civil e ferido com gravidade uma mulher, que foi transferida para o Hospital de Viseu e acabou por morrer esta noite.

Esse suspeito foi mandado parar durante a tarde por uma patrulha da GNR, tendo abandonado o carro e fugido para uma área florestal densa, explicou ao PÚBLICO o major Marco Cruz da GNR. O porta-voz daquela força diz que o homem estará armado e é considerado perigoso, admitindo que haja outros envolvidos neste caso. 

Os tiros que atingiram os dois militares, em Aguiar da Beira, ocorreram esta terça-feira de manhã. Mais tarde, as autoridades descobriram mais duas vítimas, desta vez civis: um homem, que não resistiu aos ferimentos, e uma mulher gravemente ferida, também devido a disparos. O casal não terá qualquer ligação com o suspeito identificado. Já durante a tarde, outro elemento da GNR foi ferido em Candal.

A GNR já admitiu que existe um "elevado grau de probabilidade" de as situações estarem relacionadas.