Joe Hart deu um ponto à Inglaterra e a Noruega tirou-o a São Marino

Rooney começou no banco de suplentes. São Marino marcou fora de casa, em jogos de qualificação, pela primeira vez em 15 anos.

Foto
Joe Hart em acção frente à Eslovénia JOE KLAMAR/AFP

A Inglaterra ficou-se pelo empate na visita à Eslovénia (0-0), mas o ponto conquistado foi suficiente para manter a liderança do Grupo F de qualificação para o Mundial 2018. Ao segundo jogo no comando da selecção, o técnico interino Gareth Southgate deixou Wayne Rooney no banco de suplentes – mas não foi pela ausência do atacante do Manchester United (entrou aos 73’) que o marcador não funcionou. Num jogo que não deslumbrou, os guarda-redes foram protagonistas: Oblak destacou-se na baliza eslovena, mas Joe Hart foi quem mais brilhou, com várias intervenções providenciais a evitarem outros tantos golos.

Chegou ao fim uma série de 14 vitórias consecutivas em jogos de qualificação para o Mundial e Europeu. A Inglaterra ficou-se pelo empate em Ljubljana, mas a história até podia ter tido outro desfecho: logo aos 10 minutos, Bezjak obrigou Hart a boa defesa e, na recarga, Kurtic acertou no poste. O guarda-redes inglês teve de aplicar-se novamente no início da segunda parte, a travar os remates de Cesar e Kurtic.

PÚBLICO -
Foto

O 0-0 de Ljubljana foi a surpresa da noite, isto porque a selecção de São Marino não resistiu à Noruega (4-1). Esteve quase a assistir-se a um resultado histórico em Oslo, numa partida do Grupo C: a equipa dos Apeninos marcou dois golos (um deles na própria baliza) e aguentou o 1-1 até aos 77’. Quebrada a resistência dos visitantes, os noruegueses dilataram o marcador a bel-prazer. Mas São Marino já tinha escrito história, com o primeiro golo fora de casa, em jogos de apuramento para o Campeonato do Mundo, dos últimos 15 anos. Mattia Stefanelli fez o 1-1 aos 54’, no único remate à baliza dos visitantes, e encerrou um jejum que durava desde 2001, quando a selecção que ocupa o 201.º lugar em 211 selecções no ranking da FIFA empatara 1-1 diante da Letónia, na qualificação para Mundial 2002.

O primeiro golo da partida de Oslo também tem história: foi marcado na própria baliza pelo capitão de São Marino, Davide Simoncini, que traiu o seu irmão gémeo, Aldo, guarda-redes da selecção. Com o 1-1 no marcador, a equipa de Pierangelo Manzaroli sonhou com o empate mas na recta final a Noruega foi intratável: três golos em sete minutos deram o triunfo e consumaram a 60.ª derrota para São Marino em 62 jogos de apuramento para o Mundial.

O Azerbaijão deu seguimento ao excelente início de qualificação mas viu interrompida a série vitoriosa com o 0-0 diante da República Checa. Após duas vitórias nos dois primeiros jogos de apuramento, a selecção orientada por Robert Prosinecki ficou-se pelo nulo na visita aos checos. Mas continua lançada no Grupo C, com apenas menos dois pontos do que a Alemanha. Os campeões do mundo em título bateram tranquilamente a Irlanda do Norte (2-0) com golos de Draxler e Khedira.

Num resultado efusivamente celebrado pelos jogadores, o Irão de Carlos Queiroz bateu a Coreia do Sul por 1-0 e mantém-se invicto no Grupo A da terceira ronda de qualificação asiática para o Mundial 2018. Sardar Azmoun marcou o único golo da partida e deu a terceira vitória em quatro jogos à selecção iraniana.