Mais um vídeo polémico de Trump, mas desta vez com direito a pedido de desculpas

Divulgada gravação de conversa em que o candidato republicano à Casa Branca utiliza expressões grosseiras para falar das suas conquistas. Já pediu desculpa, mas lembra que Bill Clinton "disse muito pior".

Foto
Trump disse tratar-se de “uma conversa privada” ocorrida “há muitos anos” Reuters/MIKE SEGAR

Donald Trump aparece em mais um polémico vídeo. Desta vez, as filmagens, datadas de 2005, mostram uma conversa entre o candidato republicano à Casa Branca e o apresentador de televisão norte-americano Billy Bush. Aí, Trump descreve algumas tentativas de sedução a mulheres e a forma como as tentava beijar, tocar e as propostas de sexo que lhes fazia. Os termos proferidos no vídeo a que o Washington Post teve acesso já mereceram um pedido de desculpas por parte do empresário.

Na conversa, Donald Trump vangloria-se das suas investidas sobre, por exemplo, mulheres casadas: “Eu tentei fodê-la. Ela era casada”, cita o mesmo jornal norte-americano, que acrescenta que o vídeo foi gravado alguns meses depois de ter sido celebrado o casamento entre Donald e Melania Trump.

“Eu tentei, mas falhei. Admito que falhei”, ouve-se ainda o candidato republicano dizer, sem se perceber em que altura ocorreu o relatado. Mas, afirma Trump, “quando és uma estrela, elas deixam-te fazer (…) tu podes fazer o que quiseres”.

A conversa prossegue: “Avancei para ela com muita força. Na verdade, até a levei a uma loja de móveis. Ela queria alguns móveis. E eu disse: ‘Eu mostro-te onde é que há bons móveis’”.

“Eu atirei-me a ela como um cão [nas declarações originais: ‘I moved on her like a bitch’] mas não consegui lá chegar”, refere. “De repente volto a encontrá-la, ela agora tem umas grandes mamas falsas e tudo. Ela mudou totalmente o seu aspecto”.

Poucas horas depois da divulgação do vídeo, Trump reagia afirmando que esta se tratou de “uma conversa privada” ocorrida “há muitos anos”. “Bill Clinton disse muito pior do que eu no campo de golfe – nem de perto”, contrapôs. No entanto, o empresário e candidato às eleições presidenciais dos EUA pede “desculpa se alguém ficou ofendido”.