Vitória de Guterres “prestigia Portugal no mundo”, diz Marcelo

O Presidente considera que é também “a vitória da transparência no plano internacional”.

Foto
Guterres participou no Conselho de Estado do final de Setembro miguel manso

Marcelo Rebelo de Sousa confessou-se “sem palavras” para a mais que provável indicação de António Guterres para ser o próximo secretário-geral das Nações Unidas. “Não podia ser melhor notícia para os portugueses e para Portugal, e que coincidência ser no 5 de Outubro”, disse o Presidente da República à margem de uma iniciativa do âmbito das comemorações da implantação da República.

“A votação mostra que, no momento decisivo, ninguém estava contra Guterres nem contra Portugal”, afirmou o chefe de Estado. Se “o engenheiro Guterres é de facto excepcional”, para Marcelo conta também a tradição portuguesa de “diálogo, ecumenismo, de fazer pontes”, em suma, “de ser uma plataforma de culturas”.

“Guterres é o melhor candidato para ser secretário-geral [da ONU] e esta vitória é muito boa para o mundo, para as Nações Unidas, mas também para Portugal”, disse ainda, porque “tudo prestigia Portugal no mundo”.

Mas trata-se também, para Marcelo, de uma “vitória da transparência no plano internacional”, porque “ganha quem entrou na corrida logo no início da maratona e não no fim”.