Robbie Williams festejou como um russo, mas a Rússia não gostou

Novo videoclip ridiculariza oligarcas do petróleo. Há quem defenda que o cantor deve ser proibido de voltar a actuar no país.

“É preciso um certo tipo de homem com uma certa reputação/ para aliviar o dinheiro de toda uma inteira nação” ou “Festeja como um russo/ como um oligarca”, “Há uma boneca dentro de uma boneca dentro de uma boneca dentro de uma boneca/ Eu adoro dólares”, ou ainda “Eu pus um banco dentro de um carro dentro de um avião dentro de um barco/ É preciso metade do mundo ocidental só para manter o navio a flutuar”.

Estas são frases traduzidas da nova música de Robbie Williams, Party like a Russian [Festeja como um russo] que está a provocar polémica na Rússia, especialmente por causa do videoclip. Nele, o cantor britânico aparece vestido com uma jaqueta de corte tradicional russo, a dançar no que parece um palácio imperial, rodeado de bailarinas. A música segue a um ritmo parecido com o tom de Dança dos Cavaleiros, a composição de Sergey Prokofiev do ballet Romeu e Julieta.

Há referências directas a oligarcas, ao petróleo, à revolução, a matrioscas, a Rasputine, à estação espacial e até a Louboutin, como símbolo da riqueza. E a frase, lá pelo meio da letra, “Ain’t no refutin’ or disputin’ – I’m a modern Rasputin” já foi lida como uma bicada ao Presidente russo, Vladimir Putin.

As críticas foram tantas que o cantor sentiu necessidade de vir explicar, através da rede social Twitter, que “esta canção não é, de todo, sobre o senhor Putin”. E ao tablóide britânico The Sun, Robbie justificou-se dizendo que só pretende sublinhar que os russos “são grandes foliões”. Mas Robbie Williams termina o vídeo sentado numa escadaria, rodeado de bailarinas e a fazer um gesto obsceno com o dedo para além de falar em homossexuais lá pelo meio da música, quando se refere às típicas bonecas russas que se encaixam umas nas outras.

Party like a Russian é o tema de promoção do novo álbum de Robbie Williams que será lançado em Novembro. Nos media russos apontou-se que o cantor está a personificar um cruel estereótipo da cultura russa e houve mesmo tablóides, como o jornal Life, que defenderam que deve ser proibido de voltar a dar concertos naquele país.

O apoio a Robbie Williams veio de vozes críticas do poder russo, como a cantora Yuri Loza, popular nos anos 80, que elogiou a “sensibilidade” com que o cantor personificou a liderança da sociedade russa; ou da activista política Maria Baronova, que considera que o cantor conseguiu transmitir a imagem real da actual elite russa.