Paulo Varela Gomes entre cinco finalistas do Grande Prémio de Romance e Novela

Afonso Cruz, Amadeu Lopes Sabino, Joana Ruas e Paulo Castilho completam o rol do prémio APE.

Paulo Varela Gomes, fotografado em Fevereiro de 2013
Foto
Paulo Varela Gomes, fotografado em Fevereiro de 2013 MIGUEL MANSO

A obra Era uma vez em Goa, de Paulo Varela Gomes, que morreu em Abril deste ano, está entre as cinco finalistas Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores (APE) 2015, anunciou a entidade esta quinta-feira.

De acordo com a direcção da APE, por ter sido ainda editada em vida do autor, foi admitido a concurso este romance do escritor, crítico e historiador de arquitectura, que morreu aos 63 anos, em Podentes, concelho de Penela.

Flores, de Afonso Cruz, As Claras Madrugadas, de Amadeu Lopes Sabino, Os Timorenses (1973-1980), de Joana Ruas, e O Sonho Português, de Paulo Castilho, foram as outras obras seleccionadas por unanimidades pelo júri do Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores/Direcção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas.

As cinco obras foram seleccionadas entre 104 livros publicados em 2015 e admitidos ao concurso deste prémio literário cujo valor pecuniário é de 15 mil euros. O júri foi constituído por José Correia Tavares, que presidiu, Dionísio Vila Maior, Fernando Pinto do Amaral, Isabel Cristina Rodrigues, José Manuel de Vasconcelos e Paula Mendes Coelho.

Num comunicado, a APE refere que o ponto n.º 2 do Regulamento determina que "é mantido, em 2016, o valor pecuniário de 15 mil euros do Grande Prémio, que não poderá ser atribuído a obra póstuma", razão pela qual admitiram a concurso o romance de Paulo Varela Gomes, editado ainda em vida do autor.

Ainda segundo a APE, a deliberação final do júri sobre o vencedor deverá ocorrer "num dos primeiros dias de Outubro".
O Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLAB - este ano em 34.ª edição - foi instituído em 1982.