Allo WhatsApp, fala o Google

Google lança serviço de mensagens com assistente pessoal integrado para competir com as plataformas do Facebook e da Apple.

Foto
EMMANUEL DUNAND/AFP

Começou a chegar aos sistemas Android e iOS o Allo, o mais recente serviço de mensagens móvel com que o Google tenta crescer num mercado onde o Facebook, com o WhatsApp e o próprio Messenger, e a Apple, com o iMessage, já ocupam espaço há vários anos. À hora de publicação deste artigo, a aplicação ainda não estava disponível em Portugal, mas o seu lançamento era prometido para breve.

O Allo tem as mesmas funcionalidades básicas dos restantes serviços de mensagens, permitindo conversas privadas ou em grupo, a partilha e edição de vídeos e fotografias. A novidade está na integração de vários produtos do Google na mesma plataforma, do velho motor de busca ao YouTube ou ao Google Maps, o que transforma o Allo numa espécie de assistente pessoal.

É possível, por exemplo, fazer uma pergunta ao próprio Google como se faz a um amigo da lista de contactos, pedindo o atalho mais rápido para um destino, um vídeo da banda favorita ou uma selecção de restaurantes próximos de casa. Os resultados podem ser partilhados instantaneamente com os restantes participantes de uma conversa de grupo.

Ao contrário de outras plataformas, o Allo não comporta a encriptação das comunicações, mas permite a sua utilização em modo incógnito e a autodestruição das mensagens, como o Snapchat.

Não é necessário ter uma conta Google para utilizar o Allo, bastando apenas um número de telefone.

Em Agosto, o Google já tinha anunciado outra aplicação móvel de comunicação. O Duo permite fazer videochamadas também para utilizadores que não tenham uma conta Google. A aplicação deixa ainda espreitar em tempo real o rosto de quem está a ligar, de modo a evitar telefonemas não solicitados.