David Grachat na final dos 400m livres

David Carreira ficou fora da final dos 100m mariposa, tal como Adelino Rocha na estreia no tiro, na pistola a 10m.

Foto
Paulo Pimenta

David Grachat, uma das grandes esperanças portuguesas na natação para os Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro, apurou-se nesta sexta-feira para a final dos 400m livres na classe S9. O nadador de Santa Iria da Azóia cumpriu a distância em 4m22,86s e obteve a quarta melhor marca entre os apurados para a prova das medalhas, que decorrerá às 23h41 em Portugal.

Depois da estreia do nadador da GesLoures no Rio, foi a vez de David Carreira também entrar em acção. Nos 100m mariposa, na classe S8, o atleta que foi incluído à última da hora no lote de apurados para os Jogos terminou no 10.º lugar da geral, com 1m07,43s, ficando fora da final.

Mais tarde, seria a vez de Adelino Rocha estrear Portugal no tiro paralímpico. Na prova de pistola de ar comprimido a 10m, o atirador de Rates, na Póvoa de Varzim, foi 27.º entre 32 participantes, com 549 pontos, falhando uma vaga entre os primeiros que se apuraram para a final.

"Entrei com muita ansiedade, comecei a cometer erros e não me consegui encontrar. Fiz o melhor que pude", explicou o atirador, reconhecendo que não conseguiu abstrair-se do ambiente e que "a ansiedade foi aumentando".

Adelino Rocha ainda irá competir no Rio de Janeiro nas provas de pistola a 25m e a 50m. "Foi uma grande experiência, aprende-se muito em eventos desta grandeza", prosseguiu, considerando que pode melhorar nas próximas competições. "O resultado não foi animador, mas tenho mais duas provas para fazer, vamos ver. Sinto que posso fazer mais", considerou.