Crónica

Winter Is Coming

Como não vos quero a contar pelas mãos, num desassossego, os dias que faltam até as férias acabarem, apresento-vos uma lista de dez coisas a fazer nestas duas últimas semanas que anunciam a tenebrosa chegada dos resultados das candidaturas ao ensino superior.

O Verão ainda não acabou, e por isso sinto-me um bocadinho palerma por estar a falar da universidade, mas como tem sido uma pedra no sapato (pedra não digo, talvez um daqueles vidros afiados que se escondem debaixo da palmilha e só magoam quando pressionas a sola) estaria a fechar os olhos à verdade que, embora algo distante, mexe comigo como a vibração dos carris de um comboio a aproximar-se a alta velocidade.

Dia 12 de Setembro está a chegar e Winter is coming. É nesse dia que sabemos se entrámos ou não no curso escolhido e tudo o que basta é um segundo, para muitos de nós sermos arremessados para longe daqui só por duas ou três décimas de diferença na média. Imagina estares desde dia 10 de Agosto, quando terminaram as candidaturas ao superior, com os nervos em franja em todas as tuas “raízes quadradas de somas subtraídas”, para chegares à madrugada do dia D e descobrires que foste colocado na Madeira. Numa fracção de segundo tens a tua vida de pantanas, com o coração aos saltos tentas arranjar casa, reservar bilhetes, fazer as malas e despedir-te, envolto num abraço quente, da tua família e amigos. Tudo numa semana! 

Reconheço agora que este último parágrafo é bastante anti-climático, e como não vos quero a contar pelas mãos, num desassossego, os dias que faltam até as férias acabarem, apresento-vos uma lista de dez coisas a fazer nestas duas últimas semanas que anunciam a tenebrosa chegada dos resultados das candidaturas:

  1. Ter um encontro romântico, totalmente inesperado e aleatório, que corra extremamente mal. Não há nada como olhar para trás e rir do ambiente constrangedor que culmina com uma bebida gelada atirada à tua cara depois de teres dito algo inadequado.
  2. Ver o pôr-do-sol embrulhado em toalhas.
  3. Fazer uma serenata a alguém.
  4. Ter uma conversa genuinamente interessante, que desperta todos os cantos do cérebro e te vicia até à madrugada.
  5. Dançar ao som de uma música estupidamente lamechas, enquanto te perdes naquele mar de pele salgada.
  6. Aprender um truque de magia, e ir para a praia mascarado de mágico.
  7. Alugar um animal invulgar e passeá-lo com toda a naturalidade pelo Chiado.
  8. Arregaçar as mangas, meter as mãos à obra e construir qualquer coisa, ao estilo de Phineas & Ferb.
  9. Tomar um café com os teus amigos e estar hora e meia a rir à brava.
  10. Viajar.

Acho, sinceramente, que este Verão deveria durar o dobro de todos os outros. Não por estar a ser incrível, ou pela possibilidade de conhecer pessoas novas, mas sim por medo. À minha volta, farto-me de ouvir que nunca mais terei férias como estas, e isso leva-me a querer voltar atrás, a todos os verões da minha vida, e aproveitar cada minuto apaixonadamente. Por outro lado estou em pulgas por saber o resultado. Queria tanto que as colocações saíssem em Agosto! Não me levem a mal, percebo que estas coisas levem o seu tempo, mas a ansiedade  está a ser como um daqueles ventos cortantes de Novembro que invadem os músculos numa fusão de pureza glaciar. 

Um segundo, um olhar, um zumbido ziguezague de uma abelha, o corpo inundado por monumentais brisas de alegria ou raiva, um instante. Uma vida.

18 anos, à espera de ingressar no ensino superior